Atlético-MG e Flamengo ficam no empate em jogo movimentado

Atlético-MG e Flamengo ficam no empate em jogo movimentado

O Rubro-Negro saiu na frente, mas os mineiros empataram em 1 a 1, resultado ruim para o Galo

Gazeta Press

Atlético-MG e Flamengo fizeram um grande jogo de futebol nesta quarta-feira, 31 de outubro, no estádio Independência. O duelo entre mineiros e cariocas foi digno de um verdadeiro clássico nacional, com vários ingredientes que ajudaram a apimentar o confronto, que fez história na década de 80. Os flamenguistas saíram na frente, mas os atleticanos empataram em 1 a 1, resultado ruim para as pretensões do Galo.

O Flamengo saiu na frente no placar com um belo chute de fora da área de Renato Abreu. No final do primeiro tempo, Wellington Silva foi expulso e facilitou a vida do Atlético-MG, que chegou ao empate com o avante Leonardo, que desviou cruzamento de Bernard. O resultado leva o Galo para 64 pontos, contra 72 do Fluminense, que fica muito perto do título.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG terá compromisso no próximo domingo, enfrentando o Coritiba, no estádio Couto Pereira. Já o Flamengo vai receber o Figueirense, no Engenhão, partida confirmada para sábado.

O jogo  – Eletrizante, foi dessa forma que o clássico nacional entre Atlético-MG e Flamengo começou no estádio Independência, lotado por alvinegros, que promoveram uma grande festa nas arquibancadas. Apesar do clima favorável aos mineiros, dentro de campo, o Galo não encontrou facilidades contra os cariocas, que travaram um duelo com equilíbrio de forças.

Com muita marcação, a alternativa encontrada pelo Atlético-MG nos minutos iniciais passou pelos arremates de média e longa distância. Guilherme encontrou espaço entre os zagueiros flamenguistas e finalizou cruzado, assustando o goleiro Felipe. No lance seguinte, Ronaldinho foi derrubado dentro da área, o árbitro Sandro Meira Ricci mandou seguir, revoltando a torcidaatleticana.

Aos poucos, o Atlético-MG conseguiu impor a maior qualidade técnica, trocando passes com eficiência e obrigando o time do técnico Dorival Júnior a recuar as linhas de marcação, sob pena se ser vazado pelos atacantes alvinegros. Aos 19, R49 cobrou falta com pouco ângulo e obrigou Felipe a fazer grande intervenção.

A blitz atleticana continuou com o avante Jô, que aos 20, mostrou muita categoria para acertar um belíssimo chute no ângulo direito do goleiro flamenguista, mas a bola explodiu no travessão. Aos 27, o Flamengo mostrou que não estava morto, e chegou ao campo de ataque com Renato Abreu, que acertou uma finalização de rara felicidade, sem chances para Victor, abrindo os trabalhos no Independência.

Após se recuperar do gol sofrido, os donos da casa voltaram a agredir o time rubro-negro. O craque Ronaldinho Gaúcho sofreu marcação individual do volante Amaral, que cumpriu bem a função, apesar de algumas escapadas do R49, que procurou se movimentar bastante e levou muito perigo nos lances de bola parada, especialidade do atleta.

O jogo começou a mudar de cenário em favor do Atlético-MG no final do primeiro tempo, quando Wellington Silva fez falta em Guilherme e recebeu o segundo cartão amarelo, sendo expulso de campo, deixando o Galo em vantagem no número de jogadores. Com um homem a mais em campo, a pressão foi intensificada.

Na volta para etapa complementar, o Galo retornou com mais um atacante, Leonardo, e o Flamengo sacou um jogador ofensivo para entrada do zagueiro Welinton, dando mostras do que seria o panorama dos 45 minutos finais. Atlético-MG todo ataque, contra um time rubro-negro, que apostou nos contra-ataques e no faro de gol de Vagner Love.

A mudança do técnico Cuca surtiu efeito aos 12, quando Bernard chegou à linha de fundo e cruzou com perfeição para Leonardo, que de cabeça, deixou tudo igual no placar. O empate alvinegro transformou o Independência em um verdadeiro caldeirão, que procurou incentivar o Galo a todo o tempo em busca da virada.

Aos 19 minutos, a expulsão do lateral atleticano Carlos César chamou à atenção, porque o atleta fazia aquecimento e foi advertido com o cartão vermelho sem participar diretamente do jogo. Precisando vencer para seguir na briga pelo título, os donos da casa investiram bastante nas jogadas pelos lados do campo com Marcos Rocha, depois Neto Berola, e Bernard, quase sempre buscando os cruzamentos para Leonardo e Jô.

Aos 36, o volante Leandro Donizete mandou a bomba de fora da área, obrigando o goleiro Paulo Victor a se esticar todo para evitar a virada do placar. Apesar das tentativas do Galo, os visitantes conseguiram segurar o ímpeto atleticano e ajudaram o arquirrival Fluminense, beneficiado com o empate em 1 a 1.

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!