Thiago Galhardo relata ato de racismo de torcedor do Santos com volante do Ceará

Thiago Galhardo relata ato de racismo de torcedor do Santos com volante do Ceará

Em entrevista após a partida, o meia do Vozão falou sobre o possível racismo envolvendo um torcedor do Peixe com o volante Fabinho

Gazeta Press

Thiago Galhardo relatou suposto ato de racismo e xenofobia de um torcedor do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Ceará nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Gringos elegem os cinco maiores do Brasil; veja o resultado

A reportagem do Esporte Interativo relatou na transmissão os gritos contra Fabinho e Galhardo após a virada do Peixe. Galhardo comentou e ironizou a falta de entendimento de geografia.

“Acho que eles vem ver o espetáculo, que foi bonito, parabéns pela vitória do Santos. Mas querem menosprezar o Fabinho, a mim, fazer auto racismo chamando de negão, vagabundo… Futebol perde sua essência. Brasileiro tem que se controlar mais. Não pode ter isso, o cara ficar, ao meu ver, embriagado, xingar a gente… Tinha que estudar um pouco mais, conhecer a geografia no Brasil, falar que o Ceará joga no Norte, ou eu que não entendo muito, estudei de sacanagem… Parabéns ao Santos pela virada. Nosso time fez um bom jogo, infelizmente tomamos um gol dentro da pequena área com três zagueiros em campo, realmente um lance muito rápido. É lamentar. Infelizmente tomei o terceiro amarelo, vou descansar e me recuperar o mais rápido possível para que sábado que vem possa estar em campo e ajudar meu time”, disse Galhardo.

Em entrevista coletiva, o técnico Jorge Sampaoli foi questionado sobre o racismo no futebol levantado em declaração de Roger Machado, comandante do Bahia.

“Isso me surpreende. Se você me diz, creio que não seja um tema de racismo, mas de decisões momentâneas, casuais. Somos todos iguais, não é a cor. Se formos pela cor, os mais talentosos da história são negros. Talento vem desse lugar. Tenho um grande respeito e o que você me diz que mude e que todos tenham a mesma oportunidade. É um país livre e igualitário. Seria horrível que existisse racismo”, afirmou o argentino.

Leia também!

Flamengo atinge número inédito nos pontos corridos; confira

Ronaldinho se rende à joia brasileira: “Estará entre os melhores do mundo”

Corinthians: jogador revela reunião interna entre o elenco e Carille

Crédito da foto: Divulgação/Instagram

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade