Roberto Carlos aponta motivo que pode ter atrapalhado Luxemburgo no Real Madrid: Ronaldo e eu avisamos

Roberto Carlos aponta motivo que pode ter atrapalhado Luxemburgo no Real: "Ronaldo e eu avisamos"

Treinador brasileiro trabalhou no clube merengue por quase um ano após conquistar título brasileiro com o Santos, em 2004

FOX Sports

Vanderlei Luxemburgo trabalhou no Real Madrid durante quase um ano. Depois do título brasileiro de 2004 com o Santos, Luxa foi indicado para comandar o elenco de galácticos merengue. Quase um ano depois, porém, o treinador foi demitido sem conquistar nenhum título. Em entrevista ao ex-goleiro da seleção portuguesa Vitor Baía no canal 11 de Portugal, Roberto Carlos revelou um episódio que foi um dos fatores a motivar a saída do comandante do clube.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Gringos elegem os cinco maiores do Brasil; veja o resultado

"No segundo jogo da liga, tínhamos o hábito de chegar na concentração, deixar as malas na sala e, antes do jantar, tomar nossa cerveja e nosso vinho. Sempre havia duas garrafas de vinho em cima da mesa. Ronaldo e eu dissemos: ‘Professor, as pessoas aqui têm seus costumes, você verá, mas tente não as mudar. Não remova as garrafas de vinho da mesa e a cerveja antes do jantar, porque senão vamos ter problemas’. O que ele fez? Ele tirou as cervejas primeiro e depois as garrafas de vinho. Durou três meses. O mundo do futebol é pequeno, as notícias estão chegando à diretoria e 'ciao' ", revelou o ex-lateral.

Outro treinador, que encarou problemas com os costumes do vestiário estrelado do Real Madrid, foi o ídolo do clube José Antonio Camacho. O espanhol queria que os atletas chegassem cedo para os treinamentos, mas os astros logo interviram e colocaram que, costumeiramente, os trabalhos se iniciavam em determinado horário e os jogadores estavam acostumados a isso.

"Na época dos galácticos, éramos sete. Era um perigo no vestiário. Sempre o controlávamos bem, tínhamos um bom relacionamento, Exceto Camacho, que durou dez dias. Ele veio ao vestiário, cumprimentou a todos, muito sério e eu apenas assisti para ver o que ele ia dizer. ‘Quero todo mundo aqui amanhã às 7h da manhã’. Normalmente treinávamos às 10:30. Conversamos com ele para tentar mudar o horário, tínhamos nossos costumes", disse.

Um técnico que conseguiu entender o elenco foi o espanhol Vicente Del Bosque. Roberto Carlos classificou o comandante como um ‘amigo’ de todos. O Real Madrid foi o primeiro clube do comandante. Depois de assumir interinamente a equipe em diversos períodos, o clube o efetivou em novembro de 1999, onde ficou até junho de 2003.

"Ele era mais um amigo. Você não precisa de regras. O jogador sabe o que deve fazer. Ele nos entendeu perfeitamente. Os treinamentos de segunda-feira e, às vezes, às terças-feiras eram às 17h. Não colocou às 11h da manhã porque quase ninguém chegou", afirmou.

Carlos Alberto toma uma guilhotina em aula de MMA com equipe do FOX Fight Club

Leia também!

Messi abre o jogo e revela que pensou em mudar de clube

Tite rebate questionamento sobre proteção a Neymar

Pablo Marí diz que Jorge Jesus 'mudou sua vida'

(Crédito da imagem: Reuters)

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade