Mozer revela ex-treinador que o encantou no Flamengo: "Mais próximo do modelo europeu"

Ex-jogador ainda comentou a reclamação dos treinadores brasileiros de que não há tempo para treinar as suas equipes

FOX Sports

Convidado do Debate Final desta quinta-feira (12 de novembro), o ex-jogador Mozer comentou a passagem de dois treinadores pelo Flamengo durante o período em que ele ocupava o cargo de gerente de futebol na gestão de Eduardo Bandeira de Mello. O ídolo rubro-negro teceu elogios a Mauricio Barbieri e ainda comentou os pedidos dos técnicos brasileiros por mais tempo para treinamentos.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Gringos elegem os cinco maiores do Brasil; veja o resultado

"O Rueda tem um futebol muito vertical. Sem muita construção, mas de grande profundidade. E, na parte física, muito exigente também. O Barbieri é o mais próximo do modelo de trabalho europeu, que eu pude observar. O período do Barbieri antes da parada para a Copa, o Flamengo jogava um futebol extremamente ambicioso, bom, goleador, de domínio do adversário. Porém, essa parada da Copa foi prejudicial", disse o ex-jogador.

"Quando, dentro do nosso país, todos nós reclamamos que nunca há tempo para treinar, eu entendo que, quando há uma parada dessa por competições nacionais, internacionais da Fifa, você tem que ganhar tempo, solidificar aquilo que já está bom. Ou procurar evoluir a sua equipe, enquanto não tem competições. Nós, aqui, damos folga, para que depois tenha que acelerar o processo para retomar o campeonato. Na minha opinião, isso é prejudicial. Se você não tem tempo para treinar, e, depois, quando a equipe não apresenta um futebol de qualidade, que toda imprensa vai e cobra, reclama que não tem tempo para treinar. Quando tem, dá folga. Então, esse é um procedimento que não acontece na Europa", completou.

Fla ou Grêmio? PVC, Benja e companhia elegem quem tem o futebol mais bonito do país

CR7, Messi ou Van Dijk? PVC, Bolívia, Benja e companhia elegem o melhor do mundo

Mauricio Barbieri assumiu o Flamengo de forma interina no ano passado após Paulo César Carpegianni ser demitido no final do Campeonato Carioca. Depois dos bons resultados, o jovem treinador foi efetivado. A queda de produção no pós-Copa, porém, fez com que o Flamengo o demitisse no final de setembro. Ao todo, comandou a equipe em 38 jogos, com 18 vitórias, 12 empates e oito derrotas.

Leia também!

Diretor confirma que ‘Operação Neymar’ continua viva no Barça

Maradona pede contratação de atacante que não atua há três anos

"Podia ter dado queixa na polícia": brasileiro revela zoação pelo 7 a 1

(Crédito da imagem: Gilvan de Souza/Flamengo)

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade