Gabigol ganha apoio inesperado por pedalada: Mantive a calma quando passei por isso

Gabigol ganha apoio "inesperado" por pedalada: "Mantive a calma quando passei por isso"

Ex-seleção, Gonçalves vivenciou situação e defende atacantes, mesmo como zagueiro

José Ricardo Leite

O uso (excessivo ou não?) de jogadas de efeito de atacantes sobre os defensores parece ser daqueles debates intermináveis no futebol. Dribles, firulas, pedaladas... é só ocorrer uma jogada do time que vai ter um grupo que vai reprovar a atitude e o debate esquenta.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Fla ou Grêmio? PVC, Benja e companhia elegem quem tem o futebol mais bonito do país

No último domingo (1° de setembro), em mais um capítulo, o atacante Gabriel Barbosa, o Gabigol, do Flamengo, ensaiou uma pedalada para cima de Felipe Melo, do Palmeiras. O atacante flamenguista apenas esboçou partir para cima, mas acabou tocando a bola de lado, enquanto o palmeirense acompanhou a jogada sem se exaltar fisicamente, e apenas disse "sem palhaçada".

A jogada acabou não rendendo em oportunidade de gol, mas foi o suficiente para questionamentos como se jogadas como essa valem a pena para tentar desestabilizar o adversário, se é uso de habilidade, ou desrespeito.

Entre críticas e elogios, Gabigol ganhou a defesa de um personagem importante: o ex-zagueiro Gonçalves, campeão brasileiro pelo Botafogo em 1995 e que representou a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1998.

O ex-zagueiro vivenciou uma famosa situação na final do Campeonato Carioca, entre Botafogo e Vasco. No primeiro jogo, quando o time cruzmaltino vencia por 1 a 0, Gonçalves viu Edmundo parar em sua frente na lateral, jogar o tronco pra baixo e dar uma "rebolada" parado. Na sequência, tentou o drible e parou na defesa.

Naquela oportunidade, Gonçalves teve atitude parecida com a de Felipe Melo e ficou parado, sem atacar a bola. Depois, no jogo de volta, o Botafogo levou a melhor e, como parte da comemoração, os jogadores fizeram o gesto na frente da torcida do Vasco.

Gringos elegem os cinco maiores do Brasil; veja o resultado

Brasil Futebol Expo reúne indústria do futebol de 4 a 8 de setembro

Mas, ao contrário de tomar partido dos defensores, que reclamam de atacantes mais "ousados", ele disse que lances assim tem que acontecer. Mais de 20 anos depois, o ex-jogador da seleção diz que tudo isso faz parte do futebol de uma maneira sadia, e que Gabigol não pode deixar de fazer isso.

"Acho perfeitamente normal e não vejo como desrespeito. Há de se primar sempre a qualidade técnica do jogador, e o defensor tem que se virar. Não acho que o Gabigol por esse lance mereça críticas, cabe ao defensor conduzir essa jogada", falou o ex-zagueiro ao FOXSports.com.br.

"Eu, como zagueiro, o que mais queria era que o atacante me desse espaço (como ele fez com Felipe Melo), para mim não tinha problemas. Ficou marcado na minha carreira esse lance do Edmundo, em que no final uma só torcida ficou feliz. Na hora mantive a calma, seguiu a jogada e não saiu gol. Mas não podemos impedir o atacante de tentar a jogada", prosseguiu.

Saiba como anda a vida do ex-zagueiro Gonçalves após pendurar as chuteiras:

Bom, atualmente estou morando e trabalhando nos Estados Unidos. Há dois anos, depois de uma experiência como gestor do departamento de futebol profissional do Avaí em 2016. A gente conseguiu o acesso à primeira divisão. Em 2017 eu já vinha planejando junto com a família, até em função do cenário do futebol nos Estados Unidos, com a realização da Copa do Mundo em 2026. Eu me mudei para lá e a gente está desenvolvendo um trabalho de consultoria esportiva, se aproximando dos clubes da MLS, promovendo e vendendo uma plataforma de avaliação de performance de atletas, a gente tem o objetivo de contribuir com a nossa experiência, com o nosso trabalho, com o nosso know-how para a evolução do futebol dos atletas dos EUA. E está sendo uma experiência bacana. Não deixo de vir ao Brasil. Venho ao Rio de Janeiro a cada três meses para poder estar presente na minha escola de futebol, que funciona há 23 anos na Barra da Tijuca. Eu tenho lá meus professores, coordenadores que tocam a escola na minha ausência. Eu venho visitar a cada três meses para avaliar os meus atletas utilizando esta plataforma de avaliação que eu estou representando, promovendo e vendendo para os clubes, academias e universidades nos EUA. Continuo vivendo dentro do futebol. Me aprimorando dentro do conhecimento. Sempre que tem esses eventos, eu me envolvo, aqui no Brasil e agora nos EUA também. Para que possamos ter cada vez mais ter condições de estarmos inseridos nesse meio do futebol, tanto aqui no Brasil quanto lá fora.

A Brasil Futebol Expo conta com cerca de 160 palestrantes e certifica mais de 10 mil alunos que terão a possibilidade de participar de 60 cursos ligados ao futebol. As aulas são ministradas pelas maiores referências do esporte no Brasil e no exterior em áreas como Marketing, Medicina, Psicologia, Educação Física, Direito, Administração, Economia, Tecnologia da Informação, Jornalismo, Relações Públicas e Relações Internacionais.

ONDE

A Brasil Futebol Expo será realizada na Avenida Professora Ida Kolb, 513, Jardim Laranjeiras, no PRO MAGNO centro de eventos, na zona norte de São Paulo.

QUANDO

5, 6 e 7 (Quinta, Sexta e Sábado) – das 10h às 22h

8 (Domingo) – das 10h às 20h

CONTATO

(11) 4010-5100 e 3173-6400

contato@bfexpo.com.br

A entrada para a Brasil Futebol Expo é gratuita.

Leia também!

Flamengo; Jesus está perto de feito inédito no clube

Corinthians: Gustagol fica feliz com fase ruim do Palmeiras

Neymar posto foto com camisa do Palmeiras e agradece presente

Crédito da foto: Vitor Silva/Botafogo FR

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade