Com dez minutos de acréscimos e gol aos 54, Atlético MG vira em cima da Chapecoense

Com dez minutos de acréscimos e gol aos 54, Atlético-MG vira em cima da Chapecoense

Vinícius fez o segundo gol faltando um minuto para o fim e conseguiu uma vitória heroica em cima do time catarinense

FOX Sports

“Quem ri por último, ri melhor”. É assim que pode ser definido este Atlético e Chapecoense, na noite deste domingo, na Arena Condá, em Santa Catarina. O duelo válido pelo Campeonato Brasileiro mostrou o clube catarinense marcando um gol no primeiro minuto de jogo, mas o Galo anotou no último e saiu de campo com a vitória por 2 a 1, e, com isso, riu melhor no fim da história.

O Atlético entrou em campo com o time completamente reserva. O foco no momento é o duelo contra o Cruzeiro, no Independência, no meio de semana, em confronto que vai valer a classificação para as semifinais da Copa do Brasil e que o Galo tem um placar contrário por ter perdido o primeiro jogo.

A equipe sofreu o primeiro gol muito rapidamente, antes do primeiro minuto, em um cruzamento e Everaldo acertar um belo desvio de cabeça. A equipe batalhou muito e, no segundo tempo, após os 30 minutos, virou o placar e leva os três pontos para Belo Horizonte.

Com o triunfo, o Galo sobe para a quarta colocação, com 19 pontos anotados. Já a Chapecoense tem oito tentos, na 18ª colocação do Brasileirão.

Na próxima rodada, o Atlético recebe o Fortaleza, no Independência, no domingo, às 16h (de Brasília). Já a Chape vai até o Morumbi enfrentar o São Paulo, na segunda-feira (22), às 20h.

Primeiro tempo

O Atlético entrou em campo com a escalação completamente modificada. Para evitar desgaste dos jogadores – que fizeram apenas um jogo após a Copa América – o técnico Rodrigo Santana colocou sua equipe reserva em campo. O objetivo com os titulares é foco total no Cruzeiro, na quarta-feira, pela Copa do Brasil.

Mas não foi possível analisar o jogo com zero a zero no placar. Isso porque Everaldo recebeu o cruzamento da direita, com menos de um minuto de jogo, e mandou para o fundo das redes. A zaga não se encontrou, o goleiro Cleiton não defendeu, e a bola morreu dentro, beijando a rede.

Depois foi possível ver o Atlético em campo. Era um time com Ricardo Oliveira na frente, mas que não tinha bolas suficientes para arriscar uma jogada. Na direita, um Guga que era pouco eficiente nos apoios, mas batalhador na defesa.

O Galo ficava com a bola nos pés, mas não conseguia criar oportunidades suficientes. Evidentemente, o gol inicial, tão cedo, mudou o estilo de jogo da Chapecoense em casa. A equipe se fechou e o Atlético passou a propor o jogo. Mas não conseguia.

Isso porque Vinicius Goes mantinha a regularidade da temporada – sempre mal. Com isso, o meio campo atleticano tinha o lutador Geuvânio, mas que não conseguia criar tanto, sempre muito bem marcado pela força da Chape.

Otero também tentou em algumas oportunidades. No entanto, sempre em faltas e, também, não conseguiu fazer seu melhor na primeira etapa. Aos 24, em um forte chute de fora da área, ele levou perigo, mas a defesa do goleiro em dois tempos foi feita para evitar o pior.

A Chape apostava nos contra-ataques neste momento do jogo, mas não conseguia também acertar um para matar o jogo. O retrato do jogo foi um Atlético com quase 70% de posse de bola, mas pouco claro em oportunidades.

Segundo tempo

O Galo voltou com força total para o segundo tempo. A ideia da equipe mineira era buscar o triunfo para conseguir ficar mais próximo dos líderes – posição já ocupada mais no início do campeonato.

Logo nos primeiros minutos, o Atlético acertou o travessão, em boa cobrança de Otero e desvio de Maidana. O Galo pressionava muito, fazia tentativas seguidas.

Aos 22 o Galo conseguiu um pênalti. Em chute dentro da área, a bola pegou na mão do jogador da Chape. Após o juiz utilizar o árbitro de vídeo, marcou a penalidade. Na cobrança, Ricardo Oliveira foi para a batida e o goleiro defendeu.

O Galo seguiu intenso. A equipe queria, pelo menos, o empate. Isso ocorreu aos 35. Em chute de fora da área de Otero, o goleiro pegou, mas soltou e, em cruzamento na área, Iago Maidana só empurrou para o fundo das redes.

No finalzinho, o Galo conseguiu o gol. Em boa jogada de Vinícius Goes, o meia finalizou bem, de canhota, e marcou a virada, aos 54 minutos do segundo tempo.

FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 1 X 2 ATLÉTICO

Local: Arena Condá, Santa Catarina
Data: 14 de Julho de 2018, Domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (CBF)
Auxiliar: Alex Ang Ribeiro (CBF) e Bruno Salgado Rizo (CBF)
VAR: Márcio Henrique de Gois (CBF)

Gols: Everaldo, no primeiro minuto de jogo (Chapecoense); Iago Maidana, aos 35 do segundo tempo, Vinícius, aos 54 do segundo tempo (Atlético)
Cartões: Eduardo, Douglas, Alan Ruschel (Chapecoense); Leonardo Silva, Maidana, Lucas Hernandez, Vinícius (Atlético)

Chapecoense: Tiepo; Eduardo, Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Campanharo (Aylon) e Camilo (Augusto); Alan Ruschel (Diego Torres), Everaldo e Arthur Gomes.

ATLÉTICO – Cleiton, Guga, Léo Silva, Maidana, Lucas Hernandez, Ramon Martínez (Papagaio), Jair, Otero (Bruninho), Vinicius, Geuvânio (Maicon) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Rodrigo Santana.

Crédito: Dudu Macedo/ Fotoarena

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade