Tite tem 84 por cento em três anos, por que é contestado? Veja opiniões do FOX Sports

Tite tem 84% em 3 anos, por que é contestado? Veja opiniões do FOX Sports

Eliminação na Copa, convocações equivocadas e apenas duas derrotas, em 38 jogos, foram suficientes para unanimidade virar críticas e vaias

LIGA ESPANHOLA DE BASQUETE: BARCELONA X UNICAJA
LIGA ESPANHOLA DE BASQUETE: BARCELONA X UNICAJA
ao vivo
CAMPEONATO ALEMÃO: WOLFSBURG X BORUSSIA MÖNCHENGLADBACH
CAMPEONATO ALEMÃO: WOLFSBURG X BORUSSIA MÖNCHENGLADBACH
ao vivo
CAMPEONATO ALEMÃO: DÜSSELDORF X LEIPZIG
CAMPEONATO ALEMÃO: DÜSSELDORF X LEIPZIG
ao vivo
CAMPEONATO ALEMÃO: BAYERN DE MUNIQUE X WERDER BREMEN
CAMPEONATO ALEMÃO: BAYERN DE MUNIQUE X WERDER BREMEN
ao vivo
CAMPEONATO ALEMÃO: MAINZ X BORUSSIA DORTMUND
CAMPEONATO ALEMÃO: MAINZ X BORUSSIA DORTMUND
ao vivo
NBB: RIO CLARO X FRANCA
NBB: RIO CLARO X FRANCA
ao vivo
CAMPEONATO ALEMÃO: HOFFENHEIM X AUGSBURG
CAMPEONATO ALEMÃO: HOFFENHEIM X AUGSBURG
ao vivo
LIGA EUROPA: PORTO (POR) X FEYENOORD (HOL)
LIGA EUROPA: PORTO (POR) X FEYENOORD (HOL)
ao vivo
BAIXE O APLICATIVO
FOX Sports

20 de junho de 2016! Tite é anunciado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) como novo técnico da Seleção Brasileira para substituir o demitido Dunga. Era uma tarde de segunda-feira, e a novidade chegava pelas redes sociais da entidade máxima do futebol.

O presidente da CBF era Marco Polo Del Nero, e, ao lado do mandatário, Tite falou pela primeira vez como o homem-forte da seleção mais famosa do planeta. O até então treinador do Corinthians, também gaúcho, chegou como unanimidade e recebeu apoio maciço da imprensa e torcedores.

Tite fez história com a seleção nas Eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia. Em um ano de trabalho, o treinador conseguiu tirar a equipe da sexta colocação, ou seja, fora da zona de classificação para a Copa do Mundo, e colocá-la no topo.

Foi a melhor campanha da história do país com 41 pontos conquistados: 12 vitórias, cinco empates e apenas uma derrota. O "título" de forma antecipada, coroou o trabalho do treinador.

6 de julho de 2018! Dois anos depois, o mundo perfeito de Tite desmoronou. As críticas, que já ecoavam antes da Copa da Rússia, aumentaram ainda mais. A sexta-feira, na cidade Kazan, na Rússia, foi marcada pela eliminação da seleção contra a Bélgica: 2 a 1.

Os 23 eleitos de Tite foram arrasados pelo trio belga De Bruyne, Hazard e Lukaku, e a volta para casa, frustrada antes do tempo. Era a primeira vez que o time sofreu mais de um gol numa partida. E só a terceira em que ficou atrás no placar: antes, havia virado um jogo para 4x1 sobre o Uruguai e sido derrotado pela Argentina por 1x0.

Tite perdia a sua primeira Copa, e o Brasil, o sonho do hexacampeonato. A unanimidade do treinador despencava e o trabalho era questionado. As convocações de Tite, com algumas “teimosias”, viraram motivo de críticas generalizadas por parte da imprensa e torcida. Na penúltima convocação do ano passado o treinador questionou o título de “unânime” falou sobre “inimigos”. Tite sentiu o baque e desabafou: 

Unanimidade foi de vocês, nunca foi minha. E eu nunca coloquei dessa forma. Então, lá eu não colocava dessa forma. Volto a dizer, sem ser demagogo, eu tenho muitos inimigos, eu tenho muitas pessoas que eu não gosto, pessoas que divergem. E, democraticamente, eu as respeito. Tanto quanto foram as manifestações quando eu cheguei na Seleção, quanto agora as das críticas. A única que eu não aceito é a da informação errada. Critiquem nas ideias, eu estou extremamente aberto, porque ela faz pensar e se for rasa, ela só faz pensar, mas se for profunda, ela te ensina. E eu tenho a capacidade de absorver e me reinventar. Agora, quando é de informação errada, é diferente. Ou ela é de incompetência, ou tem outro objetivo. Essa eu cuido. No normal, crítica é normal, é salutar. Alguns eu ouço mais, é da vida, do jogo."

18 de junho de 2019! Terça-feira, Arena Fonte Nova, Salvador! 363 dias após assumir a Seleção Brasileira, Tite sofre o quinto empate comandando a equipe: 0 a 0 contra a fraca Venezuela. A segunda partida disputada em solo brasileiro na Copa América também recebeu vaia da torcida, assim como na vitória na estreia sobre a Bolívia, por 3 a 0, no Morumbi. Mesmo com dois gols anulados pelo VAR, a fraca atuação não foi perdoada e sofreu fortes críticas.

Foi a primeira vez em 20 jogos que a Seleção brasileira deixou de marcar um gol. Só quatro vezes a equipe de Tite não fez gol. A Seleção também deixou de vencer dois jogos seguidos em Copa América desde 2007.

Mas, dentro de casa, os números jogam a favor de Tite: 10 vitórias e apenas um empate. Tite tem uma vantagem na Seleção: o elenco gosta do trabalho dele. Com chances de título, e com excelentes números, muitos não perdoam as escolhas e mudanças do treinador. O time que empatou contra a Venezuela tem apenas quatro titulares da derrota contra o Peru, em 2016: Alisson, Daniel Alves, Filipe Luís e Coutinho

A seleção peruana, de Guerrero, vai ser a adversária do Brasil na próxima sexta, no Morumbi, pela terceira e última rodada da fase de grupos. As duas equipes estão empatadas na liderança do Grupo A com quatro pontos cada. O Brasil é o primeiro por causa do saldo de gols: 3 a 2

Apesar das críticas, nem tudo está perdido e fica a pergunta: como uma equipe que conquista 30 vitórias, seis empates e apenas duas derrotas - 84% de aproveitamento, com 83 gols marcados, apenas 10 sofridos, 73 de saldo de gols, pode ser questionada? Qual é o principal ponto vulnerável pra que nem o restrospecto respalde Tite nesse momento?  Ausência de nomes mais próximos dos clubes brasileiros? Resquícios da queda na Copa? Decepção por não agir com Neymar mais duramente? Ou o que se vê em campo? Ou são atitudes de fora?

Abaixo a equipe do FOX Sports analisa o trabalho de Tite:

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade