Neymar tem data marcada para depor sobre acusação de estupro

Atacante irá depor nesta quinta-feira (12 de junho) na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Santo Amaro, zona sul de São Paulo

Gazeta Press

O atacante Neymar deve prestar depoimento nesta quinta-feira (13 de junho). O jogador é aguardado na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Santo Amaro, Zona Sul de São Paulo, para esclarecer e dar sua versão sobre a acusação de estupro feita pela modelo Najila Trindade.

Barcelona e Real Madrid no basquete e mais: a semana do FOX Sports

Timaço de craques com R10, Recoba e cia. invade a tela do FOX Sports em torneio de lendas

Nesta terça-feira (11), Rodrigo Gallo, amigo de Neymar e responsável por cuidar da hospedagem e das passagens de Najila em Paris, e Altamiro Bezerra, CEO das empresas que tomam conta da carreira do jogador e testemunha no primeiro encontro entre o ex-advogado da modelo, José Edgard Bueno, e representantes do pai do atleta, foram ouvidos pela polícia. Ambos os depoimentos foram acompanhados por uma das promotoras designadas pelo Ministério Público.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

 

A 6ª Delegacia de Defesa da Mulher deve montar um esquema especial para chegada de Neymar. Curiosos terão que ficar do lado de fora, sem acesso sequer ao estacionamento, e a imprensa deve ocupar um espaço delimitado para quando o jogador for depor.

Gringos elegem os cinco maiores do Brasil; veja o resultado

Se inscreva no canal do FOX Sports Brasil no YouTube

Maíra Fernandes, advogada de Neymar, falou que os esquemas de segurança do depoimento ainda estão sendo resolvidos e destacou que o jogador comparecerá o mais breve possível, mas não deu detalhes do que o André Gallo disse para os investigadores.

O atleta do Paris Saint-Germain já prestou esclarecimentos na última quinta-feira, na Delegacia de Repressão de Crimes de Informática (DRCI), na Zona Norte do Rio de Janeiro, por conta do vazamento de fotos íntimas da modelo em uma publicação no Instagram para se defender da acusação de estupro, o que seria considerado crime de internet.

Danilo Garcia de Andrade, terceiro advogado de Najila, deixou o caso na última segunda-feira devido à falta de provas concretas de sua ex-cliente.

Crédito da foto: EFE

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade