Rodriguinho marca no final, e Cruzeiro derrota o Goiás no Mineirão

Rodriguinho marca no final, e Cruzeiro derrota o Goiás no Mineirão

Raposa abriu o marcador com Dedé, sofreu o empate na sequência, mas arrancou a vitória na marra com um gol do meia

Gazeta Press

O primeiro tempo de Cruzeiro e Goiás, no Mineirão, na tarde deste domingo, não foi bom. Jogo travado, muita retranca e poucas oportunidades. No entanto, a etapa complementar da partida decidiu o confronto e a vitória de 2 a 1 para a Raposa, em duelo válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

O resultado deixa o Cruzeiro na sexta colocação, com seis pontos anotados. O Goiás está na 13ª colocação, com três pontos apenas.

O Cruzeiro volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, contra o Internacional, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio. Já o Goiás enfrenta o Ceará, no sábado, às 21h, no Serra Dourada.

Primeiro tempo

O Cruzeiro entrou para a partida com o que tinha de melhor. O técnico Mano Menezes colocou sua maior força em campo. Na direita, Orejuela foi acionado e Edilson ficou na reserva. Na esquerda, na luta por posições, Egídio foi o escolhido da vez.

O Goiás chegou a Belo Horizonte com objetivo de apenas se defender. O desenho tático do grupo alviverde, quando era atacado, mostrava um alinha inicial com cinco jogadores, a segunda com quatro. Os espaços eram encurtados e com muita dificuldade.

Com os zagueiros altos, o Cruzeiro tentou criar jogadas pelo meio, mas não teve sucesso. Rodriguinho e Robinho se movimentavam bastante e davam opções para criação, mas a marcação em Fred e Pedro Rocha era forte e a dupla não conseguia finalizar com qualidade.

O resultado da forte retranca e a falta de capacidade criativa do Cruzeiro foi que nenhuma equipe teve chance clara de gol. O Goiás desceu para o ataque apenas após os 35 minutos, mas nada de importante criou.

Mano esquenta a partida

Se nada de grandioso aconteceu dentro de campo, fora dele o técnico Mano Menezes agitou. Após uma jogada de Pedro Rocha, aos 40 minutos, o atacante caiu na área e o treinador cruzeirense reclamou com a arbitragem. “Já começou com o futebol mineiro, já começou”, questionou em tom ríspido.

Segundo tempo

À volta para a etapa complementar foi bem melhor para o futebol. Inicialmente, parecia que seria uma partida muito parecida, com o Goiás se defendendo e o Cruzeiro atacando. E, de fato, por alguns minutos, foi exatamente isso.

Mas aos três, em cruzamento na área, o zagueiro Dedé subiu muito alto e conseguiu desvia de cabeça. A bola morreu no fundo das redes.

Com o gol, o Goiás passou a sair para o ataque e abriu espaços. Com isso, minutos depois, o Cruzeiro chegou novamente com muito perigo, desta vez com Lucas Silva, que chutou de fora da área e levou muito perigo contra a meta de Tadeu.

Mas aos 11 o Goiás conseguiu o empate. Em cruzamento na área, Barcia finalizou e Fábio fez grande defesa. Na sequência do lance, Michael colocou no fundo das redes.

O Goiás voltou a se fechar e impor dificuldades para o Cruzeiro. Com a nova retranca armada, Mano Menezes mandou Thiago Neves para o campo. Com a entrada do camisa 10, Rodriguinho passou a ter mais liberdade para pisar na área e finalizar.

E surtiu efeito: aos 35, em cruzamento na área, o Rodriguinho colocou a cabeça na bola e desempatou, confirmando a segunda vitória do Cruzeiro no Brasileirão.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 1 GOIÁS

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 05 de maio de 2019, Domingo
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Assistentes: Luiz Cláudio Regazone (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)

Gols: Dedé, aos 3 do segundo tempo, Rodriguinho, aos 35 do segundo tempo (Cruzeiro); Michael, aos 11 do segundo tempo (Goiás)
Cartões: Rodriguinho (Cruzeiro); Giovanni Augusto (Goiás)
Cartão Vermelho: Giovanni Augusto (Goiás)

CRUZEIRO – Fábio; Orejuela (Jadson), Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva; Robinho (Thiago Neves), Rodriguinho e Pedro Rocha (David); Fred.
Técnico: Mano Menezes.

GOIÁS: Tadeu; Daniel Guedes, David Duarte, Yago, Jefferson, Geovane, Léo Sena, Giovanni Augusto (Renatinho), Kayke (Júnior Brandão), Michael, Leandro Barcia (Marlone)
Técnico: Claudinei Oliveira

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade