Di Grassi sobre feito no e-Prix do México: 'Não acreditava que tinha conseguido'

Piloto brasileiro conseguiu uma emocionante vitória nas últimas curvas do E-Prix da Cidade do México

FOX Sports

O brasileiro Lucas Di Grassi surpreendeu os 60 mil torcedores presentes ao e-Prix do México ao colocar o carro fora do traçado e conseguir a ultrapassagem que lhe daria a vitória a apenas alguns metros da linha de chegada. O feito levantou o já naturalmente animado público que lotava o Autódromo Hermanos Rodríguez, na Cidade do México, que vibrou muito com a que talvez seja a ultrapassagem mais imprevisível da história da Fórmula E. Com o resultado, Di Grassi passou a ocupar o quarto lugar no campeonato, com 34 pontos, reafirmando sua determinação de brigar pelo segundo título em 2019.

Atlético-MG na Libertadores, Arsenal, Chelsea, Boxe, Nascar e mais: só no FOX Sports

Lucas tomou o segundo lugar do britânico Oliver Rowland na 35ª volta e a partir de então iniciou a perseguição ao líder Pascal Wehrlein (Alemanha), que havia largado da pole e praticamente não havia sido incomodado até então. Nas voltas finais, Di Grassi passou a obrigar o líder a fazer diversas manobras para bloqueá-lo, o que favoreceu a aproximação do pelotão que vinha atrás – a foto da chegada mostra seis carros muito próximos, todos brigando por uma posição no pódio.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Na volta final, todos os pilotos tinham cargas de bateria entre 2% e 1%, o que tornou a chegada totalmente imprevisível, dependendo de como cada um trabalhasse sua conservação de energia nos últimos 2 mil metros. Em uma manobra final desesperada, Wehrlein tentou “espremer” Lucas bloqueando a passagem do brasileiro a poucos metros da bandeirada, jogando o carro todo para a direita. Mas Di Grassi surpreendeu o alemão ao literalmente sair da pista para conquistar o primeiro lugar a apenas dois metros da linha de chegada.

Clique aqui e baixe FOX Sports APP

“Foi provavelmente a melhor vitória da minha carreira na Fórmula E, por que nesta pista é difícil ultrapassar e fazer as manobras no momento certo”, conta Di Grassi. “Inicialmente, a estratégia era manter a calma e poupar a energia do carro. E no final minha meta era fazer as ultrapassagens corretamente, o que é difícil aqui. Eu consegui ultrapassar o Oliver Rowland mesmo quando ele estava no modo ataque (que dá potência extra ao piloto)”, destaca Lucas.

Se inscreva no canal do FOX Sports Brasil no YouTube

A ultrapassagem que lhe valeu a vitória foi mais arriscada. “O Wehrlein foi um pouco mais do que agressivo para defender a posição. Eu sabia que ele estava ficando sem energia. Na última volta, eu estava bem atrás, fingi tentar passar pelo lado de fora e com isso fiz ele abrir um pequeno espaço, o suficiente para colocar o meu carro. E o passei por lá. Foi uma última volta muito maluca. Ele fechou a porta, mas eu consegui passar e vencer. Eu não acreditava que tinha conseguido”.

Até o momento, a Fórmula E realizou quatro etapas, todas com vencedores diferentes. A próxima corrida será disputada no dia 10 de março, em Hong Kong.

Leia também:

Gustagol supera números de Jô no Corinthians em 2017

Técnico do United compara Sánchez a pote de ketchup

CT do São Paulo tem pressão da torcida após derrota

(Crédito da imagem: Audi Motorsport)

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade