São Paulo conseguiu apenas uma vez feito que garante vaga direta na Libertadores

São Paulo conseguiu apenas uma vez feito que garante vaga direta na Libertadores

De acordo com regulamento da competição continental, apenas uma vitória por mais de dois gols de diferença classifica o Tricolor direto para a próxima fase

Gazeta Press

Nesta quarta-feira, o São Paulo pisa pela primeira vez no gramado do Estádio do Morumbi em 2019 para decidir sua vida na Conmebol Libertadores. E para reverter a vantagem construída por 2 a 0 pelo Talleres no jogo de ida, em Córdoba, e avançar à terceira fase, André Jardine e seus comandados precisarão fazer algo que o clube conseguiu apenas uma vez em sua história na competição continental, justamente em um ano de título Tricolor.

De acordo com o regulamento da competição continental, apenas uma vitória por mais de dois gols de diferença classifica o São Paulo para a próxima fase a fim de enfrentar o vencedor do confronto entre Palestino, do Chile, e Independiente Medellín, que empataram por 1 a 1. Uma repetição do placar do primeiro jogo leva o duelo para a disputa de pênaltis.

Atlético-MG exclusivo, Libertadores, Arsenal, Chelsea, Bellator e Nascar: só no FOX Sports

E o feito que precisa o São Paulo foi conquistado pelo clube apenas uma vez ao longo de 18 participações já concretizadas na competição. Pelas oitavas de final da Libertadores de 1993, o Tricolor mediu forças com o Newell`s Old Boys e saiu da Argentina, no primeiro jogo, com o mesmo placar do time da última quarta-feira, derrotado por 2 a 0.

Na partida de volta, entretanto, o time são-paulino conseguiu o que o torcedor espera também nesta quarta: uma virada convincente. No dia 14 de abril, no Estádio do Morumbi lotado, Dinho, Raí, duas vezes, e Cafu marcaram os gols da goleada por 4 a 0 e deram início a caminhada rumo ao bicampeonato consecutivo da América, algo que não acontecia desde a conquista do Santos em 1962 e 1963.

Existe ainda uma coincidência entre os confrontos contra o Newell`s, em 1993, e diante do Talleres, neste ano, que vai além dos adversários argentinos e do mesmo resultado no primeiro jogo. E ela está justamente no time do São Paulo: Raí. Autor de dois gols no embate histórico, o ídolo tricolor hoje desempenha a função de diretor de futebol no clube do Morumbi.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Se inscreva no canal do FOX Sports Brasil no YouTube 

O currículo de viradas na competição continental, aliás, não é muito extenso. Em todas as vezes que disputou a Libertadores, o São Paulo conseguiu reverter apenas três resultados em mata-mata, além do histórico do embate de 1993, depois de perder o primeiro jogo. E nas vezes que foi feliz, passou pela cobrança de pênaltis, uma delas contra o próprio Newell`s, um ano antes, na decisão de 1992. Depois de perder o primeiro jogo, os comandados de Telê devolveram o placar e conquistaram o título nos pênaltis por 3 a 2.

As outras duas vezes em que a virada aconteceu foram em fases menos agudas e aconteceram mais recentemente. Em 2006, pelas quartas de final, o São Paulo perdeu o primeiro jogo, também em solo argentino, para o Estudiantes por 1 a 0. No Morumbi, o Tricolor devolveu o placar com gol marcado pelo zagueiro Edcarlos aos 44 minutos do primeiro tempo, e garantiu a classificação triunfando nos pênaltis por 4 a 3.

Clique aqui e baixe FOX Sports APP

Antes disso, em 2004, a resposta depois de um resultado negativo foi nas oitavas de final. Contra o Rosário Central, o Tricolor foi derrotado pelo placar mínimo na Argentina e, assim como nas outras vezes, contou com a força do Morumbi para se recuperar. Na oportunidade, os argentinos saíram na frente, Luis Fabiano ainda desperdiçou pênalti, mas Grafite colocou o São Paulo no confronto com dois gols. Nos pênaltis, Rogério Ceni pegou duas cobranças e colocou o time na próxima fase.

Nesta quarta-feira, o São Paulo tem a missão de repetir o feito conquistado em 1993 para avançar na Conmebol Libertadores, mas deve levar a campo as demais viradas conquistadas em sua história na competição continental. A partida, além de decisiva para as ambições do clube na temporada, pode ser decisiva para o futuro de André Jardine, que está pressionado no cargo com o início ruim do Tricolor na temporada.

(Crédito da imagem: Maurício Rummens/Foto Arena)

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!