Aguirre diz qual a grande dor de cabeca que tem tido no Sao Paulo

Aguirre diz qual a grande 'dor de cabeça' que tem tido no São Paulo

Após o empate em 1 a 1 com o Corinthians, neste sábado (10), o técnico uruguaio afirmou que não tem encontrado opções eficientes para o ataque

Gazeta Press

Diego Aguirre fez uma análise realista sobre o momento do São Paulo, após o empate por 1 a 1 com o Corinthians, neste sábado (10 de novembro), em Itaquera. O treinador admitiu que as más atuações têm sido uma constante da equipe, que voltou a decepcionar no Majestoso válido pela 33ª rodada do Brasileirão.

Final da Conmebol Libertadores: Boca x River, neste domingo (11), 17h 

Nesta tarde, o São Paulo foi beneficiado por um gol mal anulado de Danilo no primeiro tempo. No lance, Jean fez a defesa quando a bola já havia entrado no gol. Na etapa complementar, mesmo com a expulsão de Araos no intervalo, o Tricolor criou pouco, saiu atrás e só buscou o empate no fim, com Brenner.

“Não fizemos um bom jogo, isso é claro. Se antes do jogo tivéssemos falado em um empate, talvez tivesse sido bom, mas não nas condições que acabamos o jogo, com um a mais. Não tivemos o controle do jogo em nenhum momento nem criamos opções para aproveitar esse homem a mais. A verdade é que entendo que podem criticar o time, porque também não gostei”, avaliou.

FOX amplia as possibilidades de contratação do FOX Sports

O uruguaio também admitiu que o São Paulo está com dificuldades no ataque, constantemente em mudanças em função de lesões. No clássico, por exemplo, Gonzalo Carneiro foi substituído por Brenner por dores na coxa direita, e Everton entrou no segundo tempo após desfalcar o time nos últimos quatro jogos.

“Não estamos encontrando essas opções de ataque que queremos. Mudamos o esquema por coisas que aconteceram. Perdemos jogadores por lesão. Está claro que o time não está com clareza e profundidade com ideia de procurar o gol. Não temos clareza para jogar com a bola”, conscientizou-se.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

“Temos de ser mais ousados. A ideia era pressionar no campo do rival, mas não conseguimos. Tentei com mudanças claramente ofensivas. Colocamos dois atacantes, mas também não conseguimos encontrar situações”, acrescentou.

Com o resultado, o São Paulo chegou aos 57 pontos e se manteve no quarto lugar do Brasileirão, mas pode deixar o G4 se o Grêmio vencer o Vasco neste domingo, em Porto Alegre. O time gaúcho, aliás, é o próximo rival do Tricolor paulista, na próxima quinta-feira, no Morumbi.

“Não posso separar as últimas rodadas das primeiras. A tabela é uma só e hoje estamos no G4. Ainda estamos brigando. Estamos numa posição muito clara de classificar para a Libertadores, direto ou não. Não estamos jogando como podemos e temos que melhorar para ganhar os jogos que faltam. Entendo as críticas”, concluiu.

Saiba mais:

Tite elogia Rodrygo e critica Vini Jr.

Dembélé irrita o Barcelona novamente

Ex-Corinthians e Inter revela depressão

Crédito da foto: Fotoarena 

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!