Dorival revela mudança que espera de Diego e usa ídolo do São Paulo como exemplo

Dorival revela mudança que espera de Diego e usa ídolo do São Paulo como exemplo

O técnico também falou sobre o meia Lucas Paquetá e o atacante Vitinho

FOX Sports

Uma das grandes referências do elenco desde que chegou ao Flamengo em 2016, o meia Diego sempre foi titular da equipe. Pelo menos até poucas semanas atrás. Depois de se recuperar de uma lesão, o camisa 10 foi colocado no banco pelo técnico recém-contratado Dorival Júnior. Mesmo assim, o comandante deixou claro em entrevista ao jornal O Globo que ainda conta com ele para o restante da temporada e revelou como pretende utilizá-lo.

Bundesliga e Superliga Argentina: o fim de semana do FOX Sports

“Com aproximação e compactação. Uma presença maior dos laterais, se tornando jogadores de meio e centro, com maior movimentação dos atacantes maior, liberdade para os atletas de lado e bolas em projeção. O Diego tem capacidade muito grande de criação e de definição. Gostaria de vê-lo atuando mais com preocupação ofensiva. Ele precisa aproveitar mais, como o Hernanes, que foi fundamental no São Paulo”, disse o treinador, que também respondeu qual é a melhor posição para o meia Lucas Paquetá.

“É a posição que todos nós queremos encontrar no futebol brasileiro. Ele pode ser um meia, um atacante, segundo volante. Tem todos esses quesitos que o fazem um jogador com chance de ocupar um espaço no futebol mundial. É completo em todos os sentidos. Tem que estar sempre estimulado, instigado. É difícil encontrar um meia como ele, com a capacidade que tem e o potencial a ser desenvolvido”, seguiu o comandante, que completou explicando a mudança de função feita com Vitinho.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

“Alguns comportamentos eu mudei em relação ao que eu via. Alterei posicionamentos defensivos, para no momento de retomar a bola os jogadores estarem mais próximos. Observava o Flamengo com muita posse de bola, fruto de um legado, e tentamos aproveitar isso, mas acima de tudo buscando infiltrações, triangulações, que o atleta atacasse mais espaços vazios. O Vitinho não precisava chamar para si toda a responsabilidade ofensiva”, concluiu.

Saiba mais:

Fla, São Paulo e mais 2 querem Gabigol

Felipe Melo no Boca? Volante abre o jogo

Vinicius Júnior salva o Real Madrid; veja

Crédito da imagem: Gilvan de Souza/Flamengo

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!