Sheik vira alvo de brincadeiras e fica em último no treino de finalização

Sheik vira alvo de brincadeiras e fica em último no treino de finalização

Em treinamento intenso, mas com bom humor e leveza, os corintianos tiraram sarro do experiente atacante .Veja mais abaixo

Gazeta Press

O final do treino do Corinthians nesta segunda-feira teve um trabalho de finalização e uma descontração há tempos não vistas no clube. Depois de quase duas horas de treinamento técnico em campo reduzido muito disputado, até com algumas divididas mais fortes do que o usual, o técnico Jair Ventura promoveu uma disputa para que os atletas pudessem deixar o gramado, fazendo com que Emerson Sheik, último colocado, fosse o grande protagonista.

A ideia era simples: Jair, no encontro entre a linha de fundo e a lateral da grande área, pelo lado direito, rolava a bola para os jogadores de armação e finalização chutarem a gol. Era permitido dar apenas um toque para ajeitar antes do chute a gol, permitido até a linha frontal da grande área, encarando os goleiros Filipe e Caíque França.

Palmeiras x Cruzeiro e Flamengo x Corinthians no FOX Sports

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Nomes como o centroavante Jonathas e o meia Ángelo Araos resolveram rapidamente a questão, com toques no canto, e foram liberados. Danilo e alguns atletas do sub-20 que completaram o treinamento, como os laterais Lucas Piton e Samuel, conseguiram após meia dúzia de tentativas. Enquanto isso, Marllon e Pedro Henrique trabalharam saída de bola no outro lado do campo.

O ritmo era descontraído, mas ainda intenso, com Jair se surpreendendo pela demora no acerto de alguns mais técnicos. “Está fazendo o que aí, Vital?”, questionou o treinador, recebendo uma cara de dúvida como resposta. “Tu não fez o gol?”, emendou o comandante, recebendo um sinal negativo do armador. “Ah, é, errou o domínio” recordou rapidamente Jair, antes de tocar e ver o meia carimbar a trave.

“Tranquilo, gente, a viagem é só amanhã (terça-feira)”, brincou Jair, lembrando da ida ao Rio de Janeiro, pouco antes de uma leva com Clayson e Vital conseguir o objetivo. O funil foi se fechando e restaram Emerson Sheik, Gabriel e o jovem Caetano, do sub-20, que rapidamente ganhou a preferência dos garotos. “Vai menino, é agora”, torceu Clayson antes do canhoto ter o chute defendido por Filipe. “Uhhh”, lamentaram atletas, brincando com os mais experientes ainda na disputa.

Saiba mais:

Barça pensa em manter Paquetá no Fla

Corinthians pode ter mudança no ataque

Juventus quer contratar mais 2 estrelas

Após quase dez chutes sem acerto de qualquer um dos três, com direito à intervenção “está escurecendo, ein” de Jair, Caetano conseguiu marcar e provocou mais brincadeiras dos jogadores de fora. Foi aí que Gabriel tornou-se o preferido na torcida dos atletas, sempre brincando com Sheik. Experiente, o atacante, agora com 40 anos, chegou a abandonar a disputa alegando cansaço, mas voltou e acertou o travessão.

Dando risada da própria dificuldade em marcar o gol, Sheik viu Gabriel acertar o ângulo de Caíque e comemorar como se tivesse balançado a rede em um jogo, sempre em tom de brincadeira. Jair ainda lhe deu uma última chance. “Se fizer agora, fica empatado” disse o técnico. As atenções se voltaram ao herói da Libertadores, mas foram logo frustradas: o camisa 47 não conseguiu o domínio e a disputa se encerrou ali, em meio a risadas dos presentes.

Crédito: Marco Galvão/ Fotoarena

Link copiado para a área de transferência!