Galiotte explica contrato com a Crefisa Não teve mudança na essência

Galiotte explica contrato com a Crefisa: “Não teve mudança na essência”

Mudanças no vínculo entre clube e patrocinadora estão fazendo o Conselho de Orientação e Fiscalização rejeitar as contas de 2018

Gazeta Press

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras, explicou as mudanças feitas no contrato do Verdão com a Crefisa, algo que vem fazendo o Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) rejeitar as contas de 2018 do clube.

“Em relação ao contrato, é uma situação que envolve o patrocinador e o Palmeiras. No contrato anterior, a gente tinha o compromisso de devolver o dinheiro à Crefisa. É muito importante que o torcedor tenha essa informação. A Crefisa sofreu uma autuação, foi multada e recebeu uma recomendação do Banco Central e da Receita Federal para que os contratos fossem alterados”, afirmou o mandatário em entrevista à Espn. “A Crefisa é a grande parceira do Palmeiras e é extremamente importante neste momento de reestruturação, em que a equipe vem se equilibrando, se recompondo”.

Veja os jogos da La Liga no FOX Premium

O executivo alviverde ainda destacou que, em tese, nada muda a situação do contrato entre as duas partes. Galiotte, que inclusive convocou reunião para esclarecer dúvidas sobre o novo acordo para membros do conselho, informou que agora o clube passa a ter o risco das contratações feitas e não a patrocinadora.

“Basicamente, quando vendíamos um jogador, tínhamos de devolver o dinheiro à Crefisa. No contrato atual, não é diferente, também temos de devolver o dinheiro. A grande diferença é que o risco, no primeiro contrato, era da patrocinadora, caso tivéssemos uma situação desfavorável na venda de um atleta. Agora, o risco é do clube, embora a gente possa, na venda de um atleta, pagar a compra de outro atleta. Caso necessário, então, a venda de um atleta pode compensar a negociação de outro atleta”, disse o presidente.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

“Obviamente, algumas pessoas tem uma leitura diferente e fazem muitas críticas em relação a isso. Mas o assunto é relativamente simples. Não tem mudança, na essência. A Crefisa emprestou o dinheiro, nós temos que devolver, tanto no primeiro documento, como no segundo documento”, completou.

Leia também:

Coutinho muda de número no Barça

"Estou acostumado", diz Valdivia sobre possíveis vaias em Itaquera

Everton mira 'pacotão' do Barcelona para o mercado de verão

Crédito da foto: divulgação/Palmeiras

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!