Ataque inédito, dupla no meio e Borja no banco: veja como deve ser o Palmeiras contra o Cerro

Ataque inédito, dupla no meio e Borja no banco: veja como deve ser o Palmeiras contra o Cerro

Palmeiras enfrenta o time paraguaio nesta quinta-feira e pode contar com Deyverson e Dudu no comando de ataque. Confira

Gazeta Press

Deyverson tem apenas dois jogos como titular na temporada e, pela primeira vez no ano, poderá deixar Miguel Borja no banco de reservas. Diante do Cerro Porteño, nesta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Paraguai, ambos estarão à disposição de Luiz Felipe Scolari para atuarem como titular.

A favor de Deyverson pesa a partida diante do Bahia, na última quinta-feira. Em Salvador, o centroavante não balançou as redes, mas foi participativo enquanto esteve campo. Mesmo expulso por acertar uma cotovelada no adversário, o camisa 16 acabou eleito o “craque do jogo”.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Além disso, o desempenho de Borja diante do América-MG, domingo, quando os titulares foram poupados por Scolari, não animou o treinador. Durante a partida, o pentacampeão mundial gritou muito com o colombiano, que mostrou dificuldades em executar as funções pedidas pelo comandante.

Por outro lado, Borja é o artilheiro do Verdão no ano com 15 gols, um a mais que Willian e quatro à frente de Bruno Henrique. A média mostra a efetividade do camisa 9: 0,62 tentos por jogo. Deyverson, por sua vez, marcou apenas uma vez em 2018, em partida amistosa.

“Os dois são bons jogadores e têm características diferentes. Contra o América-MG, já tínhamos programado que o Borja jogaria no máximo 70 minutos e o Deyverson entraria para o restante do jogo. Em Salvador, jogou e foi bem. Então, vamos agora, aos poucos, aprimorando o que precisa ser aprimorado de cada um, porque são características diferentes”, afirmou Felipão.

Na segunda-feira, em treino aberto para a imprensa, Deyverson passou parte das atividades apenas treinando a jogada de pivô contra o argentino Nicolás Freire e o garoto Pedrão. No trabalho, o centroavante devia dominar de costas para o marcador e reter a bola o maior tempo possível antes de devolvê-la ao auxiliar Carlos Pracidelli.

“Um, precisa de uma bola um pouco mais alta, outro de uma bola na disputa com o zagueiro, outro de uma bola mais trabalhada. Hoje, usamos o tempo todo o Lucas Lima, que é um jogador que serve muito bem. Temos que procurar como montar essa equipe de uma forma que consigamos os gols. Aí, vamos ter a equipe que todo palmeirense deseja”, completou.

Crédito da foto: Flickr/Palmeiras

Link copiado para a área de transferência!