Vitoria e Cruzeiro desencantam no segundo tempo mas ficam no 1 a 1

Vitória e Cruzeiro desencantam no segundo tempo, mas ficam no 1 a 1

Com o resultado, a Raposa chegou a 25 pontos, mas permanece na oitava colocação da tabela do Brasileirão

Gazeta Press

Os pouco mais de 7.100 presentes no Estádio do Barradão neste domingo (5 de agosto) puderam acompanhar um jogo emocionante, disputado e que se não fossem os goleiros ou a trave poderia ter terminado com um resultado mais elástico. Dentro de campo, Vitória e Cruzeiro fizeram um confronto recheado de chances de gol pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas deixaram o gramado empatados por 1 a 1.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

O primeiro tempo da partida teve períodos bem distintos. Depois de um começo melhor, mas pouco efetivo, com apenas uma boa jogada proveniente de um erro defensivo do Cruzeiro, o Vitória passou a dar espaços ao time comandado por Mano Menezes, que ficou com a posse da bola e aproveitou para criar boas chances de gol. Em uma delas, aos 26 minutos, Rafael Sobis acertou a trave do goleiro Ronaldo e quase abriu o placar.

Os gols ficaram apenas para os 45 minutos finais. Primeiro, Neílton partiu para cima de Murilo, que derrubou o camisa 10 dentro da área, viu o árbitro apontar a marca da cal e o jogador do time da casa abrir o placar. Quatro minutos depois, porém, coube a Manoel, de cabeça, deixar tudo igual e dar números finais o jogo. Já nos acréscimos, o mesmo Manoel balançou novamente a rede, mas teve seu tento anulado.

Na próxima rodada, o Vitória viaja até Porto Alegre para enfrentar o Grêmio. Já o Cruzeiro, que mede forças com o Flamengo na quarta-feira (8) pela Conmebol Libertadores, volta suas atenções ao Campeonato Brasileiro atuando novamente contra os Rubro-Negros, no Rio de Janeiro.

O JOGO

Atuando em casa e precisando do resultado para subir na tabela de classificação, o Vitória tomou a iniciativa da partida, teve a posse da bola, mas encontrou enormes dificuldades para criar as jogadas e chegar a meta defendida por Rafael. Forte no sistema de meio-campo, o Cruzeiro também encontrava poucos espaços e os primeiros 15 minutos foram de um jogo muito truncado no setor intermediário.

Se encontrava dificuldades para realizar a transição ofensiva, o Vitória assustava nos erros que a Raposa cometia. O primeiro deles aconteceu aos 17 minutos, quando Murilo tentou recuar para Rafael. A bola, porém, ficou curta e sobrou para Walter Bou, que saiu dividindo com o arqueiro cruzeirense e por pouco não abriu o placar.

Depois de um início ruim, o Cruzeiro passou a se encontrar no jogo e tomou para si o protagonismo das ações ofensivas. O primeiro lance de mais perigo da Raposa foi aos 22 minutos, com o chute de David que desviou na defesa e passou raspando a trave.

Encontrando espaço entre as linhas do Vitória, o time comandado por Mano Menezes esteve ainda mais próximo do gol em duas oportunidades seguidas. Na primeira e mais perigosa delas, aos 26, Rafael Sobis tabelou com Mancuello, recebeu na grande área e arriscou para a defesa de Ronaldo, que espalmou na trave. Logo em seguida, o mesmo Mancuello tentou e o goleiro foi buscar mais uma.

A reta final dos primeiros 45 minutos teve o Cruzeiro ainda superior e criando as melhores oportunidades, enquanto os donos da casa encontravam dificuldades para acertar os espaços no setor de meio-campo. Aos 35 minutos, foi a vez de Aderllan salvar o Leão. Após cobrança de falta, o goleiro Ronaldo espalmou a bola para o meio da área e Bruno Silva pegou o rebote, que parou no corpo do defensor.

A volta para o segundo tempo teve os dois times mais aplicados a buscar o gol e, assim como na metade inicial, o Vitória criando a primeira chance. Logo aos três minutos, Aderllan aproveitou a sobre da cobrança de falta e cruzou para Walter Bou que, sozinho, testou à esquerda do gol. Na sequência, o Cruzeiro voltou a parar no poste, novamente com Rafael Sobis, que dominou, girou, e chutou para a bola explodir no travessão.

Aos poucos, o rendimento do time da casa passou a ser ainda melhor diante da evolução nas atuações, principalmente, de Neílton e Yago, que fizeram um primeiro tempo apagado. Aos 13 minutos, o Vitória perdeu a principal chance da partida, justamente com participação efetiva da dupla. Yago recebeu na grande área e arriscou para defesa de Rafael. No rebote, dentro da pequena área, Neilton mandou na trave.

De tanto tentar, o Vitória chegou ao seu gol aos 26 minutos. Depois de ver Walter Bou parar em Rafael, Neílton foi para cima de Murilo, acabou derrubado dentro da área e com o pênalti assinalado pelo árbitro Eduardo Tomaz de Aquino Valadão. Na cobrança, o próprio camisa 10 deslocou o goleiro e marcou.

A vantagem, porém, não durou muito tempo. Quatro minutos depois, Arrascaeta, em sua primeira participação no jogo, sofreu a falta, cobrou e colocou na cabeça de Manoel, que subiu sozinho e tocou para estufar a rede do goleiro Ronaldo, empatando o jogo. Nos acréscimos, Manoel marcou mais um, mas teve o tento anulado por falta em Aderllan.

Saiba mais:

Vinícius Jr. dá assistência em vitória do Real

Flamengo suspende pagamento de dívida do passado

Leila poderá ser presidente do Palmeiras em 2021

Crédito Foto: Dudu Macedo/ Fotoarena 

Link copiado para a área de transferência!