Brasil mudou patamar dos EUA no futebol apos jogo historico diz zagueiro do time de 94

Brasil mudou patamar dos EUA no futebol após jogo histórico, diz zagueiro do time de 94

Em entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br, Alexi Lalas lembrou da fatídica partida das oitavas de final daquele Mundial, onde a Seleção Brasileira "suou" para poder vencer por 1 a 0, com gol de Bebeto

José Ricardo Leite

Os Estados Unidos tinham participações bem discretas em Copas do Mundo até o dia que decidiram organizar a competição e empolgar sua torcida. Foi, em 1994, na competição que marcou o tetracampeonato da Seleção Brasileira, que a maior potência esportiva do mundo passou a ver maior popularidade interna no esporte que sempre foi seu calcanhar de Aquiles.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

E o jogo contra o Brasil, nas oitavas de final, teve significado especial. Poucos acreditavam que o time da casa passaria de fase em um grupo com as fortes Colômbia, Romênia e Suíça, que estavam muito bem na época. Não só se classificou como teve outra dura missão: encarar a Seleção Brasileira, e justo no 4 de julho, de sua independência.

Já embalados por uma primeira fase surpreendente, os Estados Unidos assustaram o Brasil, quase venceram e fizeram a equipe de Carlos Alberto Parreira “suar sangue” para ganhar de 1 a 0, com gol de Bebeto após jogada de Romário.

Um dos jogadores símbolos daquele time, o ex-zagueiro Alexi Lalas ressaltou como aquela partida mudou a percepção dos americanos em relação ao futebol. Depois disso, se classificaram para todas as Copas do Mundo, exceção feita à atual, na Rússia. No Mundial da Coreia do Sul e do Japão ainda foram até as quartas.

“Incrível. Foi uma partida em um momento importante para o nosso país. Sei que perdemos a partida, mas ganhamos também, de alguma forma. Mudamos uma cultura, mudamos um país, tudo por conta do futebol nos Estados Unidos. Espero que no futuro tenhamos a possibilidade de sediar um outro Mundial e encarar o Brasil novamente”, disse Lalas em entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br.

“Olha, para todos os times em 1994, se pegasse o Brasil, com Romário e Bebeto, sabia que era difícil e que tinha nomes incríveis em cada posição. Mas, veja, nomes não jogam, equipes sim. Para nós, era importante acreditar que pudéssemos jogar e que pudesse ser contra os melhores do Mundo. Mas depois da partida podemos dizer que deixamos tudo no gramado”, prosseguiu.

Lalas ainda colocou Romário como um dos atacantes mais perigosos que já enfrentou. “Eu tinha facilidade para marcar jogadores grandes. Mas um jogador como Romário é mais difícil para mim, porque é baixo, rápido e muito inteligente. Para mim Romário e Zola, os menores eu tenho dificuldade”, completou Lalas, hoje comentarista do FOX Sports dos Estados Unidos, e que, entre as muitas outras empreitadas na carreira fora dos gramados, já até se arriscou como cantor. O ex-jogador tem cinco àlbuns lançados. 

O FOX Sports transmite ao vivo os 64 jogos da Copa do Mundo da Rússia a partir do dia 14 de junho. Para acompanhar todas as notícias do Brasil e das outras seleções, confira a página especial do FOXSports.com.br.

Saiba mais:

Roger Guedes de saída do Galo

São Paulo disposto a liberar lateral

Atlético-MG quer zagueiro uruguaio

Crédito foto: Mark J. Rebilas/ USA Today Sports Images 

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!