Ídolo do surf e parça de Neymar Medina revela sonho no futebol e manda recado para Selecao

Ídolo do surf e 'parça' de Neymar, Medina revela sonho no futebol e manda recado para Seleção

Referência nas pranchas, surfista está no Rio de Janeiro, onde disputa a etapa brasileira da WSL Men's Championship, em Saquarema. Gabriel conversou com exclusividade com o FOXSports.com.br

Luan Chelles

Ele foi o primeiro brasileiro a conquistar o título de campeão mundial de Surf, em 2014. Gabriel Medina é hoje referência no esporte e tem representado com excelência o Brasil nos mares mundo a fora. No Rio de Janeiro para a etapa brasileira do WSL Men's Championship Tour, o surfista de 24 anos conversou com exclusividade com a reportagem do FOXSports.com.br

Barcelona, Série A TIM, Bellator e mais: tudo no FOX Sports

Entre a meta de voltar a conquistar um mundial, a expectativa para o desempenho na praia de Itaúna, em Saquerema, e o sonho de faturar a sua primeira etapa em seu país natal, Medina foi além e bateu papo sobre uma outra paixão: bola, futebol e Copa do Mundo. 

Grande amigo de Neymar, com quem divide grupo chamado 'Diretoria', em um famoso aplicativo de mensagens, o surfista lembrou da infância, da relação com a bola, falou do Mundial da Rússia, revelou o sonho de ser jogador de futebol e muito mais. Confira um pouco do que rolou no bate-papo com o craque das pranchas:

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Recordação marcante de uma Copa

Eu lembro que o que me marcou foi o cabelinho do Ronaldo Fenômeno. Eu tinha um amigo que morava perto e a gente assistiu esse jogo em que o Ronaldo fez os dois gols na Alemanha e depois meu amigo fez esse corte. Ficou com aquele cabelo aqui na frente e por isso que me marcou, porque estava com aquele cabelinho. Lembro dos fogos também, uma festa. O Brasil pára. Tenho boas recordações.

O Hexa vem?

Acredito porque a Seleção tem mostrado isso. Tem bons jogadores e o Tite também é um cara muito bom. Tem tudo para dar certo. Trabalhar, focar e pensar só nisso.

Superstição em jogos da Seleção?

Não tenho porque já tentei fazer isso e os resultados foram diferentes. Então não tem nada a ver isso (risos). Mas meu pai é muito, estava comigo nas competições que ganhei em Fiji em 2014, em 2015 ele estava com a mesma roupa no mesmo lugar. Ele é assim. Ele acredita mesmo que vai acontecer porque está vestido do mesmo jeito e fazendo as mesmas coisas.

Se tivesse um minuto no vestiário da Seleção, o que diria?

Eu desejaria sorte para continuarem trabalhando, buscando e sonhando, sonhar grande. Sonhar que esse dia vai chegar, o dia do Hexa. E ir com vontade, ser feliz. Tem que se divertir. Assim que vão sair os resultados fazendo o que você mais gosta, se divertindo e dando tudo de si e não desistir em nenhum momento.

Se não fosse surfista...

Eu gosto de futebol. Acho que seria jogador. (Caberia na Seleção?) Acho que sim, não sei se seria tão bom, mas eu seria esforçado. Teria que ver o lance da habilidade, mas seria incrível.

Topa desafio?

Ao fim da conversa sobre futebol, Gabriel Medina ainda foi desafiado. Caso vença a etapa brasileira da WSL, o surfista terá que ligar para o parceiro Neymar e cantarolar a música "Apelido Carinhoso", do cantor sertanejo Gustavo Lima: "Topo, Então já vou treinar a música desde agora", finalizou o surfista. 

*Supervisão de Fábio Xavier e Tayná Jordão

Crédito da imagem: FOX Sports

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!