Milton Cruz tem pedido milionário rejeitado na justiça e vai ser receber bem menos do São Paulo

Milton Cruz tem pedido milionário rejeitado na Justiça e vai ser receber bem menos do São Paulo

Ex-jogador e auxiliar do clube do Morumbi cobrava quase R$ 30 milhões referentes a bichos, premiações, equiparação salarial e danos morais

Gazeta Press

Dispensado pelo São Paulo em março de 2016, Milton Cruz entrou na Justiça para reivindicar aproximadamente R$ 28 milhões do clube. Derrotado na maioria de seus pedidos, o ex-auxiliar, hoje no Figueirense, ganhará R$ 250 mil, mas ainda pode recorrer.

Milan x Napoli, clássicos na Alemanha e na Itália: o fim de semana no FOX Sports

Uma das reivindicações de Milton Cruz negadas pela Justiça foi a equiparação salarial aos treinadores que substituiu interinamente, casos de Muricy Ramalho, Juan Carlos Osório e Emerson Leão, entre outros. Ele ainda pleiteou danos morais e integração dos direitos de imagem ao salário, sem sucesso.

Dos cerca de R$ 28 milhões pedidos inicialmente na Justiça, Milton Cruz ganhará do São Paulo R$ 250 mil, referentes a bichos e premiações, menos de 1% do total. Na medida em que a decisão tomada na última sexta-feira é de primeira instância, o profissional ainda pode recorrer.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Atacante do São Paulo de 1975 a 1979, Milton Cruz retornou ao clube para desempenhar diferentes funções. Além de auxiliar de técnicos como Carlos Alberto Parreira, Muricy Ramalho e Paulo Autuori, atuou também na observação de novos talentos. Como atleta e membro da comissão, passou mais de 20 anos no Morumbi.

Desde que deixou o São Paulo, Milton Cruz investiu na carreira de treinador e, antes de chegar ao Figueirense, dirigiu o Náutico. No comando do clube de Florianópolis, o ex-são-paulino conquistou o título da última edição do Campeonato Catarinense ao bater a Chapecoense na final.

(Crédito da foto: Náutico)

Link copiado para a área de transferência!