Ex-Palmeiras e Boca conta quando desligou telefone na cara de atual presidente da Argentina

Reportagem do FOXSports.com.br conversou com o ex-lateral Baiano, que contou histórias hilárias em meio a gargalhadas pelo telefone. Confira abaixo

False
352626

Após perder a final do Campeonato Paulista em casa para o Corinthians, o Palmeiras tenta se recuperar do forte abalo para a Conmebol Libertadores. Nesta quarta-feira (11 de abril), o time de Roger Machado recebe o Boca Juniors, no Allianz Parque, em duelo válido pela terceira rodada da fase de grupos da competição continental.

Botafogo e Galo na Sul-Americana, Arsenal na Europa League e mais: a programação do FOX Sports

Para dar uma aquecida no grande clássico sul-americano, a reportagem do FOXSports.com.br conversou com o ex-lateral-direito Baiano, que vestiu a camisa das duas equipes nos anos 2000. Dentre uma série de assuntos discutidos com o ex-atleta, Baiano relembrou uma história hilária de quando desligou o telefone na cara de Maurício Macri, na época presidente do Boca Juniors e hoje ninguém mais ninguém menos do que presidente da Argentina.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

“Foi verdade a questão com o Macri. Eles estavam no Brasil por que negociaram o Tevez com o Corinthians. Depois de um Palmeiras e São Caetano, 3 a 1 para nós, eu fui vendido. Mas uma semana antes eu tinha caído numa pegadinha de rádio e um rapaz que imitava super bem o Lula e o Pelé começaram a me entrevistar. Disseram que o presidente queria falar comigo, foi bem engraçado. Mas quando me ligaram sério, eu desliguei o telefone, mas eles ligaram novamente e me contratou. A primeira chamada foi depois da meia-noite e eu nem esperava. Eu não via muito futebol argentino e nem sabia quem era o presidente. Mas graças a Deus ele retornou a minha ligação”, disse em meio a gargalhadas.

Apesar da forte identificação e da boa relação com a torcida do Boca Juniors, Baiano deixou claro em meio a entrevista: ‘Vou torcer para o Palmeiras’. “Em relação ao Boca, foi um dos melhores momentos que tive. Fiz gol em Libertadores, me chamavam de bombom, de café. O Macri é um cara sensacional. Boca me colocou para morar em Porto Madeiro. Fomos super bem tratados. Sou um privilegiado. Fiz gols contra Pachuca e Sporting Cristal na Bombonera. Torço demais pelo Macri como presidente da Argentina. Ele é um cara que merece tudo de bom. Tudo que me prometeu no Boca ele cumpriu. Tenho carinho pela torcida e pelas pessoas, mas volto a falar: Vou torcer pelo Palmeiras”, finalizou o ex-lateral.

Crédito da foto: Cesar Greco/ Fotoarena

Deixe seu comentário