Aguirre assume risco no São Paulo e diz o que faltou ao sistema com três zagueiros

Aguirre 'assume risco' no São Paulo e diz o que faltou ao sistema com três zagueiros

Após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, pela Copa do Brasil, uruguaio se mostrou favorável à implementação do novo esquema: 'Toda mudança precisa de tempo'

Gazeta Press

O técnico Diego Aguirre, do São Paulo, diz precisar de mais tempo de trabalho para montar uma equipe com três zagueiros. Após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, o uruguaio se mostrou favorável à implementação do novo esquema, cuja estreia era aguardada no duelo disputado na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada.

No primeiro treino preparatório para o duelo com o Furacão, na última segunda-feira, Aguirre acenou com a possibilidade de mandar a campo um time armado no 3-4-3. Como as atividades seguintes foram fechadas à imprensa, não foi possível identificar que ele havia mudado de ideia para o confronto em Curitiba.

Assim, o time começou no 4-3-2-1, com Arboleda e Rodrigo Caio na zaga, Jucilei, Petros e Liziero no meio-campo, Nenê e Cueva na armação, e Tréllez como centroavante. Em entrevista coletiva, Aguirre explicou por que voltou atrás na decisão.

River Plaxe x Santa Fe, Atlético Nacional e Liga Europa; a quinta do FOX Sports

“Toda mudança precisa de tempo. Temos que assumir algum risco, mas precisamos ir passo a passo, e não pensar que os três zagueiros são a solução. É uma possibilidade certa e gosto de jogar nesse sistema. Temos de trabalhar de acordo com as circunstâncias das partidas, se jogamos fora ou em casa”, esclareceu.

Como não há o critério do gol fora de casa nesta edição da Copa do Brasil, o São Paulo precisará vencer o jogo de volta por dois gols de diferença para avançar de forma direta às oitavas de final. A decisão está marcada para o dia 19, às 19h15 (de Brasília), no Morumbi.

Antes de pensar no Furacão, contudo, Aguirre terá outro início de mata-mata pela frente. Na próxima quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), o Tricolor enfrentará o Rosario Central (ARG), no Estádio Gigante de Arroyito, pelo jogo de ida da primeira fase da Conmebol Sul-Americana.

“Conhecemos bastante os times argentinos, um conhecimento bastante real da situação de cada time. Não vou falar detalhes, mas será um jogo difícil. Estádio com a torcida forte, temos que estar preparados para superar as dificuldades. É um time forte, mas nós também somos e queremos ter sucesso nessa competição”, projetou.

Saiba mais:

Jornal: Fla fala sobre contrato com Renato

Real não quer pagar salário pedido por CR7

Juventus quer Cavani e Griezmann, diz jornal

(Crédito da imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Link copiado para a área de transferência!