Torcida invade avenida e faz festa no CT do São Paulo antes do clássico

Torcida invade avenida e faz festa no CT do São Paulo antes do clássico

Cerca de 700 torcedores uniformizados na tarde desta quarta-feira, véspera do clássico marcado para as 20h30 desta quinta, no Allianz Parque

Gazeta Press

O São Paulo voltou atrás de sua decisão de fechar o último treino antes do clássico contra o Palmeiras e abriu os portões do CT da Barra Funda para imprensa e cerca de 700 torcedores uniformizados na tarde desta quarta-feira, véspera do clássico marcado para as 20h30 (de Brasília) desta quinta, no Allianz Parque, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista.

A princípio, a atividade seria fechada. Inclusive, pela manhã, o clube havia desmentido, por meio de sua conta no Twitter, a informação propagada nas redes sociais desde terça-feira de que os trabalhos seriam abertos à torcida nesta tarde.

Sul-Americana e Europa League são os destaques na programação do FOX Sports 

No entanto, diante do grande contingente de torcedores que se deslocou até a Avenida Marquês de São Vicente, na Zona Oeste da capital, a direção do clube optou por liberar a entrada dos uniformizados, a grande maioria vinculada à Independente.

A festa começou sob forte chuva, ainda antes do treino. No momento em que a reportagem chegou ao CT, por volta das 15h20 (de Brasília), cerca de 100 torcedores já se concentravam em frente ao local. Alguns se protegiam da tempestade nos pontos de ônibus localizados na avenida.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Pouco depois, outras centenas de torcedores, tremulando bandeirões e batucando os tambores, foram chegando ao ponto de encontro e tomando a via, que acabou sendo interditada para a passagem de carros. Chegaram a entoar cânticos provocativos em frente à Academia de Futebol, onde se realizava o treino do Palmeiras, rival desta quinta.

Com a entrada de imprensa e torcida liberada, cerca de 700 torcedores se acomodaram na arquibancada localizada junto ao campo do CT, onde os jogadores realizavam um treino tático sob o comando de Dorival Júnior.

Não houve protestos ou cobranças enfáticas sobre o rendimento do time e do treinador. Pelo contrário, os torcedores, que chegaram a interromper o treino em função da fumaça dos sinalizadores, gritaram os nomes dos reservas e titulares. Cânticos ironizando Palmeiras e Corinthians também foram entoados com frequência.

Leia também:

Palmeiras busca zagueiro no futebol europeu

PSG próximo de primeiro reforço após eliminação

Sevilla não descarta negociar Ganso

Até o técnico Dorival Júnior, cuja demissão foi pedida por membros da mesma torcida há duas semanas, foi incentivado. Após o coletivo, os jogadores se viraram para os uniformizados e os aplaudiram em gesto de agradecimento pelo apoio. Já com os atletas se encaminhando aos vestiários, os torcedores cantaram o hino do São Paulo e voltaram a xingar o rival: “Vai tomar no…, Palmeiras! Vai tomar no…, Palmeiras!”.

Uma faixa estendida na arquibancada serviu como motivação para o Tricolor quebrar o tabu na reformada arena alviverde, onde o time jamais venceu: “É possível. Raí 27/06/2000”, em alusão à vitória por 3 a 2 no antigo Palestra Itália, com gol de letra de Raí, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil.

Com 14 pontos ganhos, o São Paulo lidera o Grupo B do Campeonato Paulista, seguido por São Caetano (13), Ponte Preta (10) e Santo André (8). O Tricolor não venceu nenhum clássico neste ano, perdendo para Corinthians e Santos. Já o Palmeiras é o dono da melhor campanha da primeira fase, com 20 pontos.

Link copiado para a área de transferência!