São Paulo revela voto sobre árbitro de vídeo e justifica escolha

Para Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, o voto seria 'não'. O motivo seria o custo da ferramenta em cada partida

False
343285

O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, afirmou durante a noite desta quarta-feira ser favorável ao árbitro de vídeo na Série A do Campeonato Brasileiro, mas fez ressalvas em relação à implementação da tecnologia na edição 2018. Na última segunda-feira, por motivos pessoais, o mandatário deixou a sede da CBF, no Rio de Janeiro, ainda antes da votação que terminou com vitória por 12 a 7 dos clubes que foram contra a utilização do dispositivo no principal torneio nacional.

Decisões na Libertadores e Copa do Brasil: a semana no FOX Sports

Corinthians, Santos, América-MG, Cruzeiro, Atlético-MG, Atlético-PR, Paraná, Vasco, Fluminense, Sport, Vitória e Ceará votaram pela não aprovação, ao passo que Flamengo, Botafogo, Bahia, Chapecoense, Palmeiras, Grêmio e Internacional deram o aval para o uso do mecanismo.

“O São Paulo é, em tese, a favor do árbitro de vídeo. Neste momento, a sua aprovação não é a melhor medida porque é um procedimento de grande repercussão e que precisa passar por algumas etapas de ajustes, coisas que se entendeu que acontecerá na parte final da Copa do Brasil”, afirmou Leco, na chegada ao Morumbi, onde o Tricolor enfrentará o Bragantino a partir das 21h45 (de Brasília).

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time 

Durante a rápida conversa com os jornalistas, o presidente do São Paulo reiterou não ser contra o árbitro de vídeo, mas também alertou para os altos custos do dispositivo. Organizadora do Brasileirão, a CBF queria que os clubes arcassem com os cerca de R$ 20 milhões necessários para a implementação da tecnologia nos 380 jogos do torneio.

Saiba mais:

Fla recebeu oferta por Paquetá

Andrés defines nomes no Timão

PSG e Real querem joia do Barça

“Seria implementado com custos expressivos, a cargo dos clubes representaria um peso muito grande. Para os clubes que são, não apenas aqueles considerados os grandes, mas todos os integrantes do sistema. Entendi como posição do São Paulo que não é o momento adequado para fazer a aprovação, mas é sim uma possibilidade que aprimorará a arbitragem e o futebol”, reiterou.

Com o veto da maioria dos participantes da Série A de 2018, o árbitro de vídeo será testado a partir das quartas de final da Copa do Brasil, da qual o São Paulo briga pelo título inédito neste ano.

Deixe seu comentário