Luiz Antônio explica 'não' ao Flamengo e critica clube por emprestar demais atletas da base

Emprestado à Chape, volante reencontra ex-time e vê um erro no processo de integração do jovem atleta rubro-negro ao profissional. FOX Sports transmite duelo, nesta quarta (13), às, 19h, com exclusividade

Compartilhar vídeo
Inserir vídeo
Tamanho do vídeo
322375

Eleito melhor jogador da final da Copa do Brasil de 2013 pelo Flamengo, Luiz Antônio viveu o auge da carreira pelo clube da Gávea, local que foi criado e jogou por mais de 11 anos. Meses depois ao atingir ápice da passagem pelo Rubro-Negro, entrou na Justiça contra o clube em 2014 e viu a carreira não seguir os trilhos que todos esperavam. Emprestado à Chapecoense até o fim do ano, optou por dar a volta por cima longe do Rio de Janeiro.

Fla exclusivo, Corinthians e Santos no FOX Sports

Apesar de ter contrato com o Flamengo até dezembro, mesma data do término do empréstimo com o Verdão do Oeste, o jogador não vai renovar o vínculo com os cariocas. Em entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br, Luiz Antônio explicou o motivo da escolha se buscar novos ares e também da recusa feita no início do ano:

"É complicado. Tive opção, pelo Rodrigo Caetano, de renovar meu contrato com o Flamengo até o fim de 2018. Ele me ofereceu essa renovação, mas a parte que poderia me ajudar não foi a que eu queria, acabou não tendo acordo e eu acreditei no meu futebol, em mim", afirmou Luiz Antônio, que garante estar focado em fechar a temporada da melhor forma a Chape:

"No final do ano meu contrato acaba, fico livre e depende de mim para jogar em um clube do mesmo nível do Flamengo. Procurei acreditar em mim. Foram meses especiais aqui. Não estou pensando ainda no final do ano. Espero ir bem e conseguir contratos melhores e ter uma vida mais confortável".

Veja também:

Muricy fala em retorno ao São Paulo

Grêmio com desfalque contra o Botafogo

Barça posta vídeo com show de Neymar

Revelado na base do clube, Luiz Antônio conviveu com a pressão de todo garoto que sobe para o profissional. Além de toda a cobrança, acabou passando por muitos empréstimos. Bahia, Sport e agora Chapecoense. Segundo ele, essa postura em alguns momentos acontece por conta da falta de confiança da diretoria em apostar na base:

"O Flamengo tem disso, de craque faz em casa, mas, tirando o Vinícius Júnior, que foi vendido e está sendo aproveitado, tem poucos jogadores que acabam sendo aproveitados. Empresta muito. Acha que o garoto não tem certa experiência, às vezes não dá o tempo para o jogador, ele não amadurece o suficiente. Mas é a filosofia do Flamengo. É esperar que outros jogadores da base tenham chances", explicou Luiz, que completou citando atletas que vingaram longe da Gávea:

"Marllon (Ponte Preta) é um exemplo bem visto, Camacho (Corinthians) também. Quem sabe para abrir os olhos, mostrar. A gente não sabe o que passa pela cabeça do dirigente sobre a base. É dar mais chance, ver que na base tem jogadores de excelente qualidade. Tem jogadores que foram bem quando saíram".

Na busca para voltar a ser o Luiz Antônio dos tempos de Flamengo, o meio-campista briga pelo espaço no time titular da Chapecoense, que enfrenta o Rubro-Negro nesta quarta-feira (13 de setembro), pelas oitavas de final da Conmebol Sul-Americana, às 19h, com transmissão exclusiva do FOX Sports. A tendência é de que o atleta comece a partida no banco de reservas.

Provável Chapecoense: Jandrei; Apodi, Grolli, Fabrício Bruno e Reinaldo; Moisés Ribeiro, Lucas Mineiro, Canteros e Alan Ruschel; W. Paulista e Tulio de Melo.

Provável Flamengo: Muralha (Diego Alves); Rodinei, Réver, Juan (Rhodolfo) e Pará; Cuéllar, Arão e Diego; Berrío, Guerrero e Everton.

Deixe seu comentário