Dorival Jr admite gol ilegal do Santos, mas cita erro para Red Bull e diz Falta tecnologia

Dorival Jr admite gol ilegal, mas cita erro para Red Bull e diz: 'Falta tecnologia'

Treinador evitou entrar em maior polêmica e após arbitragem contestada no Estádio do Pacaembu: 'A International Board parece que trabalha contra o futebol'

Gazeta Press

O Santos bateu o Red Bull Brasil por 3 a 2, neste domingo (12 de fevereiro), no Pacaembu, com um gol duplamente irregular. Além da bola ter batido no braço do atacante Kayke, após cruzamento de Victor Ferraz, o goleiro Saulo defendeu a redonda antes dela cruzar a linha da meta. Mesmo assim, a arbitragem validou o tento e decretou a vitória santista na segunda rodada do Campeonato Paulista.

O técnico Dorival Júnior admitiu a irregularidade no lance de definiu a partida. O comandante, inclusive, pediu que a tecnologia seja inseria do futebol brasileiro e também citou que o gol do Toro Loko, marcado por Nixon, também foi ilegal, já que o atleta estava impedido no lance

“A tecnologia está aí para ser usada. Só o futebol não usa. International Board parece que trabalha contra o futebol. Para algo que pode ser favorável para todo mundo e a margem de erro diminua. Segundo gol do Red Bull estava impedido e ninguém falou nada. Foram erros vitais para os dois lados. Tecnologia está aí e deveria ser usada e exigida. Eu sinto por isso. É um resultado a ser definido. Erro ou interferência é ruim para quem vença e para quem perca”, ressaltou o treinador, em entrevista coletiva após o triunfo no Pacaembu.

Além da polêmica no fim, a partida também ficou marcada pelo silêncio dos jogadores do Peixe na saída do gramado. Os atletas se calaram em protesto pela demissão do gerente de futebol do clube, Sérgio Dimas, na última sexta-feira. Dorival, porém, preferiu não falar sobre o assunto.

Saiba mais

Palmeiras contará novamente com um 'Rey da América' no elenco; Flamengo lidera lista 

Jornal: Jesus e Dybala juntos? City tem a prioridade para contratar argentino da Juventus

Flamengo freguês? Com mais que o dobro de faturamento, Rubro-Negro tem Botafogo como algoz

“É um assunto interno, que será tratado assim. Tenho que responder pela partida. E todos viram que equipe não se viu concentrada adequadamente. E é natural que tudo que tenha envolvido a semana tenha tido certa interferência. Mas não podemos tirar o mérito do adversário, que fez grande apresentação, buscando o gol como o Santos gosta de jogar. Eles não têm culpa do que aconteceu conosco. Temos que tentar administrar tudo isso. Foi muito em cima da partida. Não só por esse motivo, mas é natural que tenha interferido”, concluiu o comandante.

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade