Rafael Nadal exalta final no Australian Open com Roger Federer E otimo estarmos de volta

Rafael Nadal exalta final no Australian Open com Roger Federer: 'É ótimo estarmos de volta'

Desde 2011 os dois tenistas que já alcançaram o topo do ranking mundial não disputam uma final de Grand Slam entre si; confronto tem vantagem para o espanhol, com 23 vitórias contra 11 do Suíço

Gazeta Press

Na manhã desta sexta-feira (27 de janeiro), Rafael Nadal garantiu sua classificação à grande final do Aberto da Austrália. Com isso, o espanhol enfrentará o suíço Roger Federer na luta pelo título, reeditando mais um confronto de uma das maiores rivalidades do tênis mundial. O Touro Miúra, inclusive, é um dos que está animado com o jogo, que acontece neste domingo, às 6h30.

“É especial jogar uma final de Grand Slam com Roger novamente. Não vou mentir, é ótimo. É excitante para mim e para nós dois que ainda estamos aqui lutando por torneios importantes. Isso é importante para nós, e é muito especial”, declarou o canhoto.

O duelo terá inúmeros componentes especiais. O jogo será o 35º entre Rafa e Roger, com o espanhol levando ampla vantagem no confronto direto: 23 a 11. Além disso, será a primeira vez desde 2011 que ambos decidem um Slam – a última foi em Roland Garros, com o Touro Miúra levando a melhor.

Saiba mais:

Deu ruim? Pai de Eduardo Vargas revela torcida para que atacante acerte com o Tigres, do México

Palavra de Diós: Maradona detona críticas a Lionel Messi por falta de título mundial

Perto do título: United perde para Hull City, mas vai à final da Copa da Liga Inglesa

Outro detalhe especial é o que um deles voltará a ganhar um Major após um tempo considerável. Maior vencedor de Grand Slams com 17 troféus, a última conquista de Federer foi em Wimbledon 2012. Já Nadal, empatado com Pete Sampras como segundo maior vencedor com 14 títulos, faturou a última vez em Roland Garros 2014.

A difícil temporada de 2016 dos dois tenistas ainda deixa a decisão do Aberto da Austrália ainda mais especial. Enquanto Rafa passou por um problema no pulso e ficou afastado do circuito por cerca de três meses, Roger não atuou no segundo semestre, ficando longe das quadras por seis meses após uma lesão no joelho.

Diante de todos esses componentes, a decisão será ainda mais emocionante. Nadal, inclusive, exaltou que a rivalidade entre ele e Federer ultrapassa os limites do tênis, e que ambos tenistas deram a volta por cima, espantaram a desconfiança e voltaram a decisão de um Slam.

“A rivalidade com Roger é incrível para mim e acho que para o tênis também. É a combinação de dois estilos diferentes que faz o duelo ainda mais especial. Nós dois tivemos muito sucesso com esses dois estilos diferentes. Sinto que essa rivalidade não está somente no mundo do tênis. Pessoas fora desse mundo falam disso, e isso é bom para o nosso esporte. É ótimo que estamos de volta”, finalizou.

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade