Aos 29 anos Kerlon Foquinha reacende no noticiário e é chamado de 'meteoro' por jornal italiano

Aos 29 anos, Kerlon ‘Foquinha’ reacende no noticiário e é chamado de 'meteoro' por jornal italiano

Hoje no futebol eslovaco, meia ficou marcado na carreira por conta do fatídico "drible da foca" durante um clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro, em 2007

FOX Sports

Tudo começou em 2007, em pleno Mineirão, durante o fervoroso clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro. O cronômetro marcava 35 minutos na segunda etapa, e o placar era favorável para a Raposa, que vencia por 4 a 3. Foi então que ele aplicou um drible que mudaria o rumo da sua carreira. Apelidada de “drible da foca”, a jogada acabou em expulsão do lateral-direito Coelho, que não ficou nada satisfeito com a humilhação.

Estamos falando do meia Kerlon, autor da jogada que está prestes a completar uma década. Nesta sexta-feira (27 de janeiro), no seu aniversário de 29 anos, ele voltou a ser notícia ao ser apelidado de “meteoro” pelo site italiano TuttoMercatoWeb.com, que relembrou da carreira do jogador que hoje está “esquecido” na Eslováquia.

Revelado pelo Cruzeiro em 2005, quando tinha apenas 17 anos, Kerlon de fato teve uma carreira meteórica. Após aplicar o famoso drible, virou notícia na imprensa esportiva brasileira, que exaltava a irreverência do jogador, mas também criava polêmica acerca do fato que gerou bastante repercussão. Na época, enquanto os jogadores do Cruzeiro saíram em defesa da jovem promessa, os do arquirrival criticaram a atitude, classificando-a como “desrespeitosa”. O TuttoMercatoWeb por sua vez, exalta as acrobacias da jovem promessa, classificando-as como “extraordinárias, porém sem qualquer resultado dentro de campo”.

Saiba mais:

Deu ruim? Pai de Eduardo Vargas revela torcida para que atacante acerte com o Tigres, do México

Palavra de Diós: Maradona detona críticas a Lionel Messi por falta de título mundial

Perto do título: United perde para Hull City, mas vai à final da Copa da Liga Inglesa

Na temporada seguinte, no fim de 2008, foi negociado com a Inter de Milão, que logo de cara o emprestou para o Chievo Verona. No modesto clube italiano, disputou apenas quatro partidas - nenhuma delas como titular- e sequer marcou. Depois, sofreu uma espécie de “limbo” em sua carreira, rodando por uma série de clubes onde não se firmou, em lista que conta com Ajax-HOL, Paraná, Nacional-MG, Fujieda-JAP, Miami Dade-EUA e inclusive pelo futebol de Barbados, no Caribe, jogando pelo Weymouth Wales e mais recentemente no Villa Nova-MG. 

No fim do ano passado, em dezembro, acertou sua ida para a Eslováquia para vestir a camisa do Spartak Trnava, seu oitavo clube estrangeiro na carreira. Ainda sem ter estreado, e agora um ano mais velho, Kerlon tenta reviver os tempos de quando a irreverência e os dribles eram algo comum no seu futebol.  

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade