Brazuca Guangzhou Evergrande vive expectativa da estreia no Mundial de Clubes

'Brazuca' Guangzhou vive expectativa da estreia no Mundial de Clubes

Comandados por Felipão, seis brasileiros fazem parte da equipe chinesa que disputará as quartas de final contra o América do México, neste domingo (13)

FOX Sports

Se o Mundial de Clubes de 2015 não conta com nenhum clube brasileiro envolvido, o Guangzhou Evergrande pode assumir o papel de representar o País na competição. Isso porque a equipe chinesa, que conta com Luiz Felipe Scolari no comando, possui seis jogadores nascidos no Brasil e que farão parte do elenco para a disputa do torneio. Conhecidos por torcedores dos clubes brasileiros, nomes como os de Robinho, Paulinho, Ricardo Goulart, Renê Junior, Alan e Elkeson estão vivendo a oportunidade de disputar o torneio mundial com os chineses.

Sobre a expectativa para o Mundial, o atacante Elkeson, que vestiu a camisa do Botafogo entre 2011 e 2012, afirma estar animado por participar de uma competição que alcança pessoas ao redor de todo o planeta. "É a melhor possível. Estamos falando de um campeonato que o mundo inteiro para e assiste, com os melhores times de todos os continentes. Temos trabalhado muito forte para fazer um bom papel aqui no Japão”, disse o jogador, em entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br.

Com a experiência de ter disputado o Mundial de 2013 pelo mesmo Guangzhou, o atacante se diz mais preparado para entrar em campo em uma competição dessa dimensão. “Naquela ocasião era tudo novidade para mim e para os outros jogadores. Hoje, chegamos aqui no Japão mais experientes, com um grupo mais qualificado e acreditamos poder corresponder às expectativas da nossa torcida”, explicou Elkeson.

Se Elkeson participará pela segunda vez do Mundial, outro brasileiro do elenco fará sua estreia. O atacante Alan, que passou por Fluminense, Londrina e Red Bull Salzburg, da Áustria, acredita que o torneio não serve apenas como 'vitrine' para os jogadores do Guangzhou. "O futebol chinês tem alguns jogadores com muita qualidade para atuar na Europa. Nós vestimos a camisa querendo vencer e conquistar títulos. Transferência para outros clubes é apenas uma consequência do que fazemos no dia a dia", revelou o brasileiro.

Veja mais

Classificados: Sanfrecce Hiroshima bate Auckland na abertura do Mundial de Clubes

Modéstia onde?: Ibra se coloca entre melhores do mundo junto com dupla de 'Ronaldos'

Complicou: Kranevitter assume missao 'quase impossivel' de parar Messi no Japão

Sob o comando de Felipão, o clube chinês terá a oportunidade de enfrentar o Barcelona, caso passe pelo América do México nas quartas de final. Para Elkeson, o momento é de focar apenas no adversário já definido. “O Barcelona é uma das melhores equipes do mundo e isso não é novidade para ninguém. Ainda não podemos pensar neles (Barça) se ainda temos o América do México pela frente. Vamos ver no passo a passo para depois sonhar com voos mais altos no torneio”, afirmou à reportagem do FOXSports.com.br.

Segundo os brasileiros, a presença de Felipão no comando do Guangzhou é de suma importância para o crescimento da equipe. "Ele (Felipão) é um cara sensacional. Chegou na China, conversou com todos os jogadores e deu muita confiança para o elenco conquistar os títulos na temporada", disse Elkeson, que teve seu discurso reforçado por Alan: "Estamos muito felizes com o trabalho dele aqui e vamos trabalhar juntos para construir belas histórias aqui no clube".

Algoz de brasileiros no caminho

Conhecido por dificultar a vida dos brasileiros na Copa Bridgestone Libertadores, o América do México pode ser uma pedra no caminho do 'brazuca' Guangzhou Evergrande. A equipe mexicana, que já teve Salvador Cabañas no comando de ataque, hoje conta com outro 'algoz'. Oribe Peralta, responsável por marcar os dois gols na final olímpica entre México e Brasil, em 2012, veste a camisa 24 e é o principal avante da equipe.

"Nossa preparação para entrentar o América vem sendo feita desde que conquistamos a Liga dos Campeões (da Ásia). Acredito que o Felipão vai nos preparar da melhor forma para neutralizarmos as jogadas ofensivas deles e sermos eficazes no ataque", disse Alan, sobre o confronto que acontece neste domingo (13 de dezembro).

Elkeson, por sua vez, acredita na proximidade do duelo Brasil-México para dar vantagem ao Guangzhou. "Nós (brasileiros) naturalmente já conhecemos o América, diferente dos chineses. Mas o treinador e a comissão técnica estão preparando o nosso grupo da melhor forma para o confronto", afirmou o autor do gol do título da Liga dos Campeões asiática, vencida pelos chineses.

Na Libertadores de 2008, o América fez duas vítimas brasileiras durante sua campanha. Nas oitavas de final, jogando em casa, os mexicanos perderam o jogo de ida por 4 a 2 para o Flamengo, mas, com 'show' de Cabañas, conseguiu reverter o resultado no Maracanã. O atacante marcou duas vezes e viu o compatriota Esqueda completar a goleada por 3 a 0, que garantiu a classificação às quartas.

Diante do Santos, desta vez, as Águias contaram com outro 'show' de Cabañas. Na primeira partida, no Estádio Azteca, o paraguaio foi responsável por marcar os dois gols da vitória do América, que, com uma derrota por 1 a 0 no jogo de volta, na Vila Belmiro, se garantiu nas semifinais da competição sul-americana. A equipe do México, porém, acabou eliminada na fase seguinte pela LDU, que mais tarde se sagrou campeã da Libertadores sobre o Fluminense.

Valendo uma vaga nas semifinais do Mundial de Clubes, contra o Barcelona, Guangzhou Evergrande e América do México se enfrentam na manhã deste domingo (13), a partir das 4h45, e você poderá acompanhar ao duelo ao vivo no FOX Sports e no FOXPlay.com.

Reportagem de Raphael Silva e Samuel Rodrigues

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade