Sem decisão sobre motor Red Bull Racing ameaça deixar Fórmula 1 em 2016

Sem decisão sobre motor, Red Bull ameaça deixar Fórmula 1 em 2016

Equipe, que vem tentando trocar fornecedor nos últimos tempos, confirmou que não vai seguir na categoria se grau de competitividade não melhorar

WWE MONDAY NIGHT RAW
WWE MONDAY NIGHT RAW
ao vivo
BAIXE O APLICATIVO
FOX Sports

A Fórmula 1 pode perder uma de suas principais franquias para a temporada 2016. Dona de duas equipes na categoria, a Red Bull ameaça se retirar da modalidade caso o grau de competitividade entre os times não diminua. A principal reclamação da equipe é com relação aos motores dos carros.

“Se não tivermos um motor competitivo, não há futuro na Fórmula 1 para a Red Bull Racing. A cortina pode descer após o Grande Prêmio de Abu Dhabi. É essa a opinião do Sr. Mateschitz. Ele sabe que custa o mesmo dinheiro correr na frente ou, como tem sido agora, na primeira metade do grid, e não está disposto a fazer isso por mais um ano”, disse Helmut Marko, consulto esportivo da Red Bull, em uma entrevista ao site oficial da categoria.

Na mira: PSG quer tirar José Mourinho do Chelsea para a próxima temporada

Preocupado: Sem punição, Tevez deve desfalcar Boca para acompanhar operação

Substituto: Com Van Gaal 'só até 2017', United planeja ir atrás de Pep Guardiola

A equipe vinha negociando com a Mercedes para trocar o fornecimento dos motores de seus carros, que hoje é feito pela Ferrari. Porém, segundo informações da imprensa especializada na Europa, as conversas parecem ter emperrado, o que teria causado a irritação de Mateschitz, dono da Red Bull, e o ‘ultimato’ da empresa à categoria.

A reclamação da Red Bull é com relação ao fato de que a Ferrari tem repassado para a equipe motores de segunda mão, e não os de fábrica que a escuderia italiana utiliza. Isso seria para evitar que os rivais tivessem carros que se equiparassem as Ferraris.

Caso as garantias pedidas pela empresa não sejam atendidas, e o desfecho seja a saída da Red Bull da categoria, a Fórmula 1 perderá não uma, mas duas equipes: a Scuderia Toro Rosso também é gerida pelo mesmo grupo e sairia junto com a ‘irmã’, deixando o grid com quatro carros a menos para 2016.

Publicidade
Link copiado para a área de transferência!
Publicidade