Baú do Micheletti: Flamengo e Santos podem repetir 1983

Há 36 anos, o Rubro-Negro e o Peixe foram os melhores times do Brasileirão

436043
False

O Brasileirão de 2019 poderá repetir o campeão e o vice de 1983. Há 36 anos, Flamengo e Santos foram os melhores times da competição, que era chamada de Taça de Ouro.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Campeão nacional em 1980 (sobre o Atlético Mineiro) e 1982 (sobre o Grêmio), o Flamengo era apontado como favorito para a grande final e tinha vantagem de resultados iguais contra o Santos. A equipe rubro-negra contava com a mesma base que tinha inclusive conquistado a Libertadores e o Mundial de Clubes em 1981.

O Santos ainda passava por uma transição. Dirigido por Chico Formiga, o mesmo técnico que comandou a famosa equipe batizada de “Meninos da Vila”, entre 1978 e 1979, o Santos estava reforçado naquele ano por dois jogadores que fizeram parte da seleção brasileira na Copa de 1982: o artilheiro Serginho Chulapa (ex-São Paulo) e o meio-campista Paulo Isidoro (ex-Atlético Mineiro e Grêmio).

No primeiro jogo, no Morumbi, o Santos foi melhor. Se o Flamengo contava com o Galinho Zico, no Peixe brilhava outro camisa 10: Pita. Aliás, o Alvinegro da Vila chegou a abrir 2 a 0, gols justamente de Pita e de Serginho Chulapa. No final da partida, o Flamengo diminuiu com o Baltazar, o “Artilheiro de Deus”, que tinha brilhado no Grêmio anos antes.

Para o Maracanã, o Santos levava apenas a vantagem do empate, que foi sepultada logo nos primeiros segundos de partida. Após boa jogada do ponta-esquerda Júlio César Barbosa, o lateral Júnior bateu, o goleiro Marola deu rebote e Zico empurrou para as redes.

O Santos reclama até hoje um pênalti não marcado sobre o meia Pita, cometido pelo zagueiro Marinho. O árbitro da partida Arnaldo César Coelho marcou falta em dois lances dentro da área.

Ainda no primeiro tempo, Zico cobrou falta da direita e o lateral-direito Leandro, de cabeça, ampliou a vantagem do time carioca, que era dirigido por Carlos Alberto Torres.

Restava ao Santos se lançar na segunda etapa. Afinal, o time da Vila precisava de dois gols para conquistar o título. Com um time mais equilibrado, sem desfalques (diferentemente do Santos no Maracanã), o Flamengo soube administrar o resultado e no final da partida chegou ao terceiro. O ponta-direita Robertinho (que jogou no Flu e depois brilhou com a camisa do Sport) fez ótima jogada e cruzou na medida para o meia Adílio fazer de cabeça o terceiro gol do Fla.

Time-base do Flamengo 1983:

Raul; Leandro, Figueiredo (Marinho), Mozer e Júnior; Vitor (Andrade), Adílio e Zico; Élder, Baltazar e Júlio César. Outros jogadores que costumavam entrar: Cantarele, Cocada, Ronaldo, Adalberto, Bigu, Ademar, Bebeto, Lico, Edson e Robertinho.

Time-base do Santos 1983:

Marola; Toninho Vieira, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Gilberto Sorriso; Lino, Paulo Isidoro e Pita; Camargo, Serginho Chulapa e João Paulo. Outros jogadores que faziam parte do elenco: Silas, Joãozinho, Dema, Toninho Silva, Luque, Serginho Dourado e Paulinho Batistote.

Leia também!

Veja o que pode ‘seduzir’ R. Caetano a trocar o Inter pelo Palmeiras

Gabigol revela data da sua possível despedida do Maracanã pelo Fla

Corinthians define quatro alvos que contratará para a temporada 2020

(Crédito da imagem: FOX Sports) 

Deixe seu comentário