Rogério Ceni é corajoso e vai enfrentar o pior adversário da carreira, a crise do Cruzeiro

Treinador deixa o Fortaleza e vira a aposta da Raposa para uma recuperação no Campeonato Brasileiro

419852
False

Pela segunda vez na história do Campeonato Brasileiro, iniciado em 1971, o Cruzeiro atravessa a sua pior fase na competição. Assim como em 2011, a Raposa não vence há 11 jogos: (2011 - quatro empates e sete derrotas; 2019 – cinco empates e seis derrotas).

Com apenas duas vitórias, em 14 jogos, em 2019, o Cruzeiro ocupa a 17ª colocação com 11 pontos na zona de rebaixamento. A Raposa foi a equipe que conquistou menos pontos após a Copa América, em cinco rodadas: apenas três de 15 possíveis. 21 pontos atrás do líder Santos.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Rogério Ceni é um cara corajoso. Ele vai comandar um time com um ano praticamente perdido. Eliminado da Libertadores, com risco de rebaixamento no Brasileiro e na corda bamba da Copa do Brasil. Ele vai ter menos de um mês para trabalhar o psicológico do time azul e reverter essa crise. Com a derrota para o Inter na ida, por um a zero, no Mineirão, o Cruzeiro terá que vencer por dois gols de diferença. Uma vitória da Raposa por um gol leva a decisão para os pênaltis. Na Copa do Brasil, não há o critério do gol qualificado.

Gringos elegem os cinco maiores do Brasil; veja o resultado

A trajetória de Rogério Ceni como treinador começou de forma curiosa e mostra do que ele é capaz. No dia 24 de novembro de 2016, o São Paulo anunciou Rogério Ceni como o novo técnico do clube do Morumbi. A notícia explodiu como uma bomba no futebol. O maior ídolo da história tricolor era uma unanimidade. E a aposta parecia a melhor no momento. Seis meses depois e há seis jogos sem perder no Brasileirão de 2017 e com o time na zona de rebaixamento,
o treinador Ceni foi demitido.

Quase três anos depois, Rogério Ceni deu a volta por cima. Brilhou no comandado do Fortaleza com três títulos importantes: o estadual deste ano, a Copa do Nordeste 2018 e o Campeonato Brasileiro da Série B, levando o Tricolor do Pici de volta à elite do futebol.

Rogério Ceni virou nome forte da nova geração de treinadores. Antes de aceitar o desafio de comandar o Cruzeiro, recebeu várias propostas de outros clubes. Em maio deste ano, durante o bate-papo com Benjamin Back, apresentador FOX Sports, o ex-goleiro revelou quantas vezes foi procurado por outros clubes durante o período no Tricolor.

"Fico feliz, algumas equipes demonstraram... ao longo desses 16 meses, eu tive quatro propostas para sair do Fortaleza. Durante a Série B, eu achei que o mais importante era completar um ano de trabalho em um local, completar um ciclo, pré-temporada, sobreviver a um Estadual, jogar um campeonato nacional e fechar o ciclo", disse Ceni. 

O ciclo de Ceni no Fortaleza chegou ao fim antes do tempo. Digo isso, porque no mesmo programa ele defendeu a importância de permanecer um longo período em um clube por causa da sua personalidade.

"Eu sou uma pessoa de difícil mudança, tanto que eu fiquei 25 anos seguidos no São Paulo. Gosto de ir no mesmo restaurante, de estar com as mesmas pessoas. Sou avesso a mudanças drásticas, você se apega. Se você ver a torcida aqui, é muito especial a festa que eles fazem. Aqui o torcedor carrega o time", completou. 

Nesta terça-feira, (13/8), Rogério Ceni será apresentado em um dos maiores clubes do Brasil. Chega com moral e com apoio dos jogadores do Cruzeiro. Vai substituir Mano Menezes,
o técnico que estava há mais tempo no comando de um time no país: 1108 dias no cargo, 37 meses, três anos. Perfeito para Rogério Ceni se firmar e se tornar, quem sabe, um dos mais importantes treinadores do país do futebol. Experiência, paciência, talento e garra por títulos  vitórias, com certeza ele tem.

Saiba mais!

O fator que pode complicar vinda de Balotelli para o Flamengo

Barcelona dá últimato a Neymar, e advogado 'famoso' reaparece

Edmundo faz projeção otimista para o Flamengo e elogia jogador

Crédito da foto: Gustavo Simão/Fortaleza

Deixe seu comentário