Arnaldo Cezar Coelho, o gigante do apito, se aposenta da TV

Um dos expoentes da arbitragem nacional e mundial, o meu grande amigo se despede da comunicação com o dever cumprido de ter feito um excelente trabalho

386779
False

Sentado nas cadeiras do maravilhoso estádio Krestovsky, na cidade de São Petersburgo, à espera da semifinal da Copa do Mundo, entre as seleções da Bélgica e França, fiquei sabendo do próprio Arnaldo Cezar Coelho que ele se aposentaria da TV no final deste ano. Tenho a honra e o privilégio de contar com a amizade do Arnaldo.

Semi da Sul-Americana, Arsenal, Chelsea, Bundesliga e mais: a semana no FOX Sports

É um amigo leal, solidário de muitos anos e que contribuiu bastante com seus preciosos, sábios e sensatos conselhos para meu êxito profissional, tanto na arbitragem dentro do gramado, como depois, quando ingressei no FOX Sports como comentarista.

Arnaldo foi um dos expoentes da arbitragem do futebol nacional e mundial. Ainda é o árbitro que mais trabalhou em jogos do Campeonato Brasileiro (291 partidas), tendo apitado várias decisões dessa competição e também de campeonatos regionais e Libertadores, em 1988. No cenário mundial, seu principal feito aconteceu na Copa da Espanha, em 1982, quando tornou-se o primeiro árbitro não-europeu a apitar uma decisão, na final vencida pela Itália por 3 a 1 sobre a Alemanha.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Além disso, Arnaldo também atuou na Copa da Argentina, em 1978. Nas duas Copas, esteve em campo sete vezes, sendo quatro como árbitro principal e as restantes como auxiliar.

Como comentarista de arbitragem, ele conferiu um brilho singular à atividade iniciada por Mario Vianna, na Rádio Globo, no final dos anos 60, e por Armando Marques, na extinta TV manchete, nos anos 90. Dono de uma linguagem cristalina e de uma excelente didática, Arnaldo conquistou uma legião de admiradores com seus comentários na televisão e criou o bordão "a regra é clara", que caiu na boca do povo - consagração maior para um comunicador - e depois foi título de livro de sua autoria.

Fico feliz em saber que, com esta aposentadoria, meu amigo, aos 75 anos, vai dedicar-se a desfrutar com mais intensidade as coisas boas da vida na companhia daqueles que lhe querem bem, sem deixar de eventualmente transmitir seus conhecimentos através de palestras. É o descanso merecido de um grande e valoroso profissional que engradeceu o futebol, especialmente no que se refere ao ofício da arbitragem.

Felicidade e sorte nesta nova fase da vida, Arnaldo!

Leia também!

Torcida do Palmeiras faz dois pedidos após título

Hazard abre o jogo sobre contato feito pelo PSG

Boca e River podem ter problema para o Mundial

Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Deixe seu comentário