Vice do Barcelona abre o jogo sobre chance de retorno de Neymar ao clube

Em entrevista à Rádio Barcelona, Jordi Cardoner fez questão de esfriar os rumores, ressaltando que a decisão de deixar o clube em agosto de 2017 para jogar no PSG partiu do próprio Neymar

381675
Compartilhar vídeo
Inserir vídeo
Tamanho do vídeo

Por Gazeta Press

Na última quinta-feira, veio à tona na imprensa espanhola a informação de que Neymar poderia retornar ao Barcelona na próxima temporada. Como era de se esperar, a especulação ganhou repercussão na mídia internacional e rendeu, nesta sexta, um pronunciamento por parte do vice-presidente do clube catalão, Jordi Cardoner, que descartou qualquer possibilidade de retorno do brasileiro.

Em entrevista à Rádio Barcelona, o dirigente fez questão de esfriar os rumores e revelou que o assunto sequer está em pauta no Barcelona, ressaltando que a decisão de deixar o clube em agosto de 2017 para jogar no Paris Saint-Germain partiu do próprio Neymar.

Estreia do NBB e jogos da Bundesliga: a semana no FOX Sports

“Ninguém na diretoria do Barcelona levantou a possibilidade de repatriar Neymar. Hoje essa é uma questão que não se pode abordar, justamente porque não houve nenhuma análise quanto a esse assunto”, disse Cardoner.

El Clásico Barcelona x Real Madrid no dia 28; saiba como assistir ao vivo

Depois de ter sido divulgada a possibilidade do retorno do brasileiro à Espanha, a rádio Cadena SER afirmou que Neymar possui um acordo com o mandatário do PSG, Nasser Al-Khelaifi, para que ele possa sair mediante um valor também negociado entre os dois. Mesmo assim, o dirigente do Barça afirmou não saber dessas condições e comentou que a forma como Neymar saiu torna a suposta situação ainda mais complicada.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

“Foi ele quem saiu do Barcelona. Uma coisa muito diferente seria se nós não tivéssemos acreditado nele e agora quiséssemos recuperá-lo, mas esse não é o caso. Em qualquer caso, se a situação ocorresse e a volta de Neymar estivesse em pauta teríamos que discutir isso em uma reunião, mas até agora o caso não é esse”, comentou o vice-presidente.

(Crédito da imagem: Agência EFE)