Dortmund estaria disposto a pagar R$ 100 milhões por atacante do Barcelona

Paco Alcácer pertence ao clube da Catalunha, mas está emprestado aos alemães, onde já tem se destacado neste início de temporada

380723
Compartilhar vídeo
Inserir vídeo
Tamanho do vídeo

O Borussia Dortmund está disposto a abrir o cofre para garantir um dos jogadores mais badalados do futebol europeu para os próximos cinco anos. Quem garante é o jornal alemão Bild, que afirma que o clube deve exercer a opção de compra do atacante Paco Alcácer, emprestado pelo Barcelona.

Matt Mitrione x Ryan Bader e muito mais: é hoje no Bellator 207!

O espanhol tem sido um dos principais destaques neste início de temporada no Velho Continente. Tendo disputado apenas quatro partidas defendendo as cores do Dortmund, Alcácer já marcou sete gols, sendo três na virada sensacional contra o Augsburg, pela 7ª rodada da Bundesliga. Confira os gols de Borussia Dortmund 4x3 Augsburg acima.

Bellator, Nascar e SportsCar Championship: o super feriadão do FOX Sports

O ótimo desempenho faz com que a equipe alemã já se movimente para pagar a opção de compra, que tem o valor de 23 milhões de euros (R$ 100 milhões). Caso confirme o acordo, o espanhol firmará contrato com o Dortmund até 2023 e receberá um salário de oito milhões de euros (R$ 35 milhões) por mês, passando a ser o terceiro maior do elenco, atrás apenas de Gotze e Reus.

Alcácer também tem se destacado pela seleção espanhola. Nesta quinta-feira (11 de outubro), o atacante marcou dois dos gols da vitória por 4 a 1 sobre o País de Gales.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

Revelado pelo Valencia, o atacante também teve uma breve passagem pelas categorias de base do Getafe. O jogador defendeu as cores do Barcelona por duas temporadas, mas sem muito brilho, até acertar a ida para o Dortmund no início da atual temporada.

Saiba mais:

‘Fator Vinícius Jr’ pesou em saída de Paquetá

Paris Saint-Germain ‘declara guerra’ ao Barcelona

Corinthians repete estratégia por título da Copa do Brasil

Crédito da foto: Reuters