Chelsea estuda levar torcedores antissemitas para visitar Auschwitz

De acordo com a ideia, torcedores poderão escolher entre aceitar a viagem ou perder os carnês de ingressos para toda a temporada

380603
Compartilhar vídeo
Inserir vídeo
Tamanho do vídeo

Por Agência EFE

A diretoria do Chelsea está estudando a possibilidade de organizar visitas ao campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, feitas para torcedores acusados de antissemitismo, conforme revelou o presidente do clube, Bruce Buck.

"Se você proíbe as pessoas de assistir os jogos, nunca mudarão seu comportamento. Esta medida dá oportunidade a eles de perceber o que fizeram e de querer me comportar melhor", disse o dirigente, em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal The Sun.

Bellator, Nascar e SportsCar Championship: o super feriadão do FOX Sports

De acordo com a ideia do Chelsea, os torcedores poderão escolher entre aceitar a viagem ou perder os carnês de ingressos para toda a temporada.

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

"A viagem a Auschwitz é muito importante e efetiva. Ainda consideraremos fazer mais, em outras iniciativas que impactem nas pessoas ", completou Buck.

Nos últimos anos, o Chelsea vem tomando diversas medidas para lutar contra o antissemitismo, depois de vários incidentes, flagrados em vídeos e também em cânticos nas arquibancadas. Recentemente, o clube iniciou uma campanha, que tem como objetivo conscientizar as pessoas das consequências do comportamento de ódio.

Saiba mais:

‘Fator Vinícius Jr’ pesou em saída de Paquetá

Paris Saint-Germain ‘declara guerra’ ao Barcelona

Corinthians repete estratégia por título da Copa do Brasil

(Crédito da imagem: Agência EFE)