Bellator 183 entrega nocautes espetaculares, finalização de brasileiro e muita ação

Patricky Pitbull usa contra-ataque para superar Ben Henderson e desafia campeão. Paul Daley e Aaron Pico conseguem nocautes brutais em card que também teve Goiti Yamauchi somando mais um pescoço para a coleção

324313
False

Com um elenco recheado de atletas talentosos, ousados e virtuosos, o Bellator 183, em San José, gerou grande expectativa do público. E entregou tudo que se esperava. 

Quem acompanhou o card principal, no sábado (23), saiu empolgado é muito satisfeito com o que viu. Dois nocautes devastadores, uma finalização de extrema técnica e duas ótimas lutas que foram para a decisão dos juízes laterais. 

GOITI YAMAUCHI VENCE ADAM PICCOLOTTI (finalização por guilhotina, R1 – 3:19)

Uma guilhotina. Bem defendida.

Um triângulo de mão. Também defendido.

Uma homoplata. Igualmente defendida.

Montada pelas costas com mochilada seguida de um justíssimo mata-leão. Tudo isso foi feito por Goiti Yamauchi. Tudo isso foi feito por Goiti Yamauchi em apenas 3m19s de luta. Menos de um round. O nome disso? Show de jiu-jítsu.

O brasileiro mostrou ter uma estratégia muito bem traçada. Queria levar Adam Piccolotti para o chão. E conseguiu fazê-lo com maestria. Dominou as ações, jamais esteve ameaçado e não deu chances ao até então invicto Adam Piccolotti. Goiti dá mais um passo adiante na categoria.

AARON PICO VENCE JUSTIN LINN (nocaute, R1 - 3:45)

O segundo embate do card principal trazia grande expectativa. A razão era a segunda experiência de Aaron Pico, o menino prodígio, no MMA. Depois de uma estreia trágica, no super evento do Madison Square Garden - em que levou um knock-down e acabou finalizado com uma guilhotina pelo azarão Jack Freeman -, ele precisava de uma atuação que justificasse tantos holofotes em cima dele.

E não decepcionou. Com um wrestling afiado, levou Justin Linn ao chão e foi para as costas do oponente. Depois que a luta perdeu a dinâmica, o árbitro interrompeu e os dois voltaram a ficar em pé. Foi quando Pico disparou uma saraivada de socos - alguns dos quais, encontraram o endereço certo.


Sempre agressivo - e até um pouco exposto -, Pico encaixou um cruzado de esquerda devastador. Linn despencou no chão quando ainda restava 1m16 para o fim do primeiro assalto.

ROY NELSON VENCE JAVY AYALA (decisão unânime)

Dois pesos-pesados baixos e gordinhos para a categoria. Ambos com histórico que os faz merecer muito respeito. Javy Ayala detonou o russo Sergei Kharitonov com um nocaute em apenas 16 segundos. Seu adversário, Roy Nelson, ficou famoso pela incrível resistência a castigos inclementes de grandes lutadores do UFC - e por seu poderoso overhand de direita.

Neste sábado, "Big Country" tomou a iniciativa durante todo o combate. Dominou as ações, andou para a frente, levou a luta para o chão quando quis e, faixa-preta de Renzo Gracie, até chegou a ensaiar uma finalização. Em outro momento, soltou uma sequência de uppers impressionante. Ayala absorveu muito bem.

Sem diminuir o ritmo ou a pressão nos três assaltos, Roy Nelson sempre caminhou para a frente e apresentou um ótimo volume de luta também no solo. Especialmente, para um "gordinho" de 41 anos de idade. 

A decisão ficou para os juízes laterais - mas a tarefa não foi difícil. O estreante da noite foi mais incisivo e perigoso e, por unanimidade, teve seu braço levantado. Inapelável.

PAUL DALEY VENCE LORENZ LARKIN (nocaute, R2 2:40)

Não era difícil prever que o choque dos explosivos Paul Daley e Lorenz Larkin fosse acabar antes de soar o último gongo do terceiro assalto. Além das virtudes dos dois lutadores, havia muita animosidade no ar depois do arranca-rabo da véspera, durante a pesagem.

No primeiro round, o que se viu foi Larkin buscar a luta, caminhando para a frente,, pressionando com chutes na perna e sequências de jab e direto. Daley circulava, estudava e, vez ou outra, atingia as pernas do desafeto.

A coisa mudou de figura depois do intervalo. Os dois voltaram com muito ímpeto e o choque seria inevitável. 

Depois de alguns clinches, Daley tentou sua tradicional cotovelada giratória. Passou em branco. Surpreendentemente, Larkin não levantou a guarda. Resultado: um cruzado de esquerda o acertou na parietal. Ali, o interruptor desligou. Mais alguns socos disparados e o árbitro interrompeu o combate. Nocaute avassalador.

Como antecipou o comentarista Mario Filho, durante a transmissão, "O Paul Daley tem nitroglicerina nas duas mãos". Dessa vez, bastou usar o TNT da esquerda...

PATRICKY PITBULL VENCE BEN HENDERSON (decisão dividida)

Patricky Pitbull prometeu agressividade para superar o estilo estratégico de Ben Henderson. No entanto, foram seus contra-ataques afiados que o fizeram sair do café redondo com a vitória. 

Com muita velocidade e um jogo em pé mais perigoso, o brasileiro neutralizou as tentativas de queda de Bendo.

Os primeiros cinco minutos foram de cautela e estudos. O americano tentou alguns ataques com cores nas pernas e longa de cintura, mas foi pouco efetivo. Com o timing afiado, Pitbull não foi ameaçado e levou perigo nos contragolpes.

No round seguinte, Henderson tentou levar o combate para o chão. O brasileiro foi perfeito e frustrou todas. O público chegou a vaiar o ex-campeão do UFC.

Mantendo a serenidade e o jogo de contra-ataque, Patricky dominou as ações no terceiro assalto. Com um potente cruzado de esquerda, balançou o oponente.

Ao fim do equilibrado confronto, dois árbitros deram a vitória para o brasileiro, um para o americano - que ainda não se criou na nova organização. Com o resultado, Patricky soltou o pitbull e desafiou o campeão Brent Primus:

- Como ex-campeões no café da manhã. Quero Brent Primus. Você tem o meu ouro, você tem o meu cinturão. Pare de correr do Pitbull. Você fugiu duas vezes. Baby, estou indo atrás de você - afirmou o vencedor. Será que chegou a hora?

A próxima edição, 184, vai acontecer no dia 6 de outubro, em Oklahoma. A luta principal da noite será a disputa do cinturão dos penas. Dudu Dantas defende o título contra Darrion Caldwell - em duelo que deveria ter acontecido nos evento 177 - o americano se contundiu.

A categoria também será representada pelo ex-campeão Daniel Straus, que enfrenta Emmanuel Sanchez.

Deixe seu comentário