Rodrigo Bueno: Copa do Mundo de 2018 já tem cara

Comentarista dos canais FOX Sports analisa classificados, países que estão 'com um pé' na Rússia e aqueles que podem dar vexame e ficar de fora do Mundial

321650
False

Dos 210 países que entraram na disputa das eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018, 144 já foram eliminados. A Ásia, maior continente do planeta, é a única região que já definiu sua sorte, com quatro classificados diretos (Arábia Saudita, Coreia do Sul, Irã e Japão) e uma repescagem entre Austrália e Síria (essa talvez a grande história do qualificatório para o Mundial do ano que vem). A África ainda não tem nenhum país matematicamente garantido na Copa, mas é quase certo que Egito, Costa do Marfim, Nigéria e Tunísia estarão na Copa. Uma vaga está em disputa por Burkina Faso, Cabo Verde e Senegal (caso um dos dois primeiros se classifique, será um estreante em Copas, um queridinho do Mundial na Rússia). Camarões será uma das ausências sentidas no torneio.

A Nova Zelândia dificilmente fará frente ao quinto colocado das eliminatórias sul-americanas, que pode muito bem ser a Argentina. Brasil, já carimbado, Colômbia e Uruguai estão com as malas prontas. Equador, Paraguai e Peru estão na briga ainda, sendo que a grande novidade na região pode ser a volta do Peru à Copa do Mundo, algo que não ocorre desde 1982. Uma eventual eliminação da Argentina seria considerada o maior fiasco da história do futebol argentino, pois não classificar para um Mundial com 32 seleções num continente que dá vaga a praticamente metade dos participantes seria uma vergonha para uma potência da bola.

Na Concacaf, além do México, já assegurado, a Costa Rica, de grande campanha no Brasil em 2014, está na rota da Rússia. Uma briga de foice entre Estados Unidos, Honduras e Panamá vai definir quem será o terceiro classificado direto para a Copa e quem irá jogar uma perigosa repescagem, possivelmente contra a Austrália. Uma possível eliminação dos Estados Unidos seria uma grande novidade na fase final do Mundial. Muitas pautas sobre Guerra Fria cairiam com a ausência do time norte-americano na competição na Rússia. E o torneio perderia muitos turistas e torcedores (sim, os norte-americanos estão entre os líderes em compras de pacotes para Mundiais de futebol). O torneio perderia apelo comercial e televisivo sem a presença do país que tem o maior mercado do mundo.

Na Europa, todas as grandes seleções tendem a se classificar, exceção feita à Holanda, que está numa situação muito delicada por conta do saldo de gols bem inferior ao da Suécia, que, mesmo sem Ibrahimovic, deve ficar com o segundo lugar no grupo da França, uma das grandes favoritas a ganhar o título mundial no ano que vem. A Itália, por estar na chave da Espanha, terá que passar por repescagem, mas não acredito que ela caia diante de nenhum adversário nesse mata-mata, mesmo esse sendo algum país de bom nível, como Portugal. Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Inglaterra, Polônia e Sérvia avançarão como campeões de grupos.

Creio até que os portugueses, os atuais campeões europeus, vencerão a Suíça em casa na última rodada e terão vaga direta na Copa. Os suíços deverão ir para a repescagem junto com Bósnia e Herzegovina ou Grécia (bósnios têm mais pontos hoje, mas contam com tabela mais difícil), Eslováquia, Irlanda do Norte, País de Gales (hoje o pior segundo colocado, o que não lhe garante nem na repescagem), Suécia e Dinamarca ou Montenegro (há grande equilíbrio entre os dois, e os montenegrinos podem sonhar ainda com seu debut em Mundial de forma individual). O Grupo I das eliminatórias europeias é um dos mais equilibrados de todos os tempos. Nas duas últimas rodadas, Croácia, Islândia, Turquia e Ucrânia vão para um tiroteio no escuro. Os quatro podem muito bem ir à Copa de forma direta ou acabar de fora até da repescagem. Equilíbrio total na chave.

Como acredito ainda na classificação de Argentina e Estados Unidos, creio que a grande novidade da Copa será a ausência da Laranja Mecânica, que tem um vice e um terceiro lugar nas duas últimas Copas, tendo perdido apenas um jogo dos 14 que fez nessas duas grandes campanhas. A Holanda não conseguiu se renovar adequadamente e paga com este ciclo infeliz (já ficou fora da Eurocopa passada mesmo com 24 seleções na disputa). Acho que Burkina Faso será a caçulinha do Mundial da Rússia. E que Cristiano Ronaldo vai terminar como artilheiro das eliminatórias mundo afora.

Deixe seu comentário