O futebol já parou guerra, mas hoje a guerra para o futebol

Alemanha teve um amistoso cancelado e foi cogitado o adiamento da rodada da Bundesliga. No passado, o esporte superou conflitos

227484
False

O mundo vive dias difíceis desde o atentado terrorista na cidade de Paris, onde pelo menos 129 pessoas morreram em ações do Estado Islâmico. Naquela fatídica sexta-feira, a Alemanha encarou a França no Stade de France e perdeu por 2 a 0, mas o resultado foi o que menos importou. O medo tomou conta de todos envolvidos no amistoso.

Por segurança, a delegação da seleção alemã não retornou para o hotel onde estava hospedada na capital francesa e teve que dormir no próprio vestiário do estádio. "Os jogadores estavam muitos assustados. Ficamos muito chocados e afetados", disse o gerente Oliver Bierhoff.

Mesmo assim, o amistoso que a equipe faria contra a Holanda quatro dias depois, em Hannover, foi confirmado. A segurança na HDI Arena, palco do duelo, foi reforçada e a polícia garantiu a realização da partida. Porém, duas horas antes de a bola rolar, uma ameaça de bomba no estádio fez as autoridades cancelarem de vez o jogo.

Vitória do terror, que também suspendeu Bélgica x Espanha.

Esse foi o terceiro cancelamento de um amistoso da Alemanha em toda história. O primeiro aconteceu em 1994, quando a Inglaterra temeu pela sua segurança e recusou-se a jogar em Berlim no dia do aniversário de Adolf Hitler, em 20 de abril. Depois, em 2009, a partida contra o Chile marcada para 14 de novembro não foi realizada por conta do trágico suicídio do goleiro Robert Enke, quatro dias antes.

Diante de tudo isso, a DFB (Federação Alemã) cogitou até adiar a 13ª rodada da Bundesliga. "Consideramos seriamente isso", disse Reinhard Rauball, presidente interino da entidade, descartando, por ora, o adiamento. "Tenho a impressão de que o futebol na Alemanha ficou marcado com o dia de hoje. Um dia triste para Alemanha, um dia triste para o futebol", completou o mandatário.

A guerra está prestes a parar o futebol na Alemanha, mas o futebol já foi capaz de parar uma guerra. Uma não, duas!

Durante a Primeira Guerra Mundial, em 25 de dezembro de 1914, uma confraternização entre inimigos mortais terminou em uma improvável partida de futebol em pleno campo de batalha. Soldados ingleses e alemães passaram a noite anterior em combate na Bélgica, mas deram uma trégua no dia de Natal e rolaram a bola ali mesmo, com vitória da Inglaterra por 3 a 2. Uma situação surreal que inspirou até o ex-Beatle Paul McCartney com a música "Pipes of Peace".

Logo na primeira hora do dia 26 de dezembro, eles se esqueceram de que eram jogadores e o conflito foi restabelecido.

Já em 1969, o Santos de Pelé foi capaz de interromper uma sangrenta guerra civil no Zaire (atual República Democrática do Congo). O time brasileiro chegou ao país africano e, para que dois amistosos não fossem cancelados, os guerrilheiros entraram em um acordo e os jogos aconteceram sem que um tiro fosse disparado, em total clima de paz. Os santistas deixaram a África após os duelos e a guerra recomeçou.

Veja também:

RMP nega que Inter de Milão queira tirar Guerreiro do Flamengo: 'Sequer foi sondado'

Gol de Colômbia 0 x 1 Argentina pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa

Palmeiras, Santos e Flamengo querem 'pescar' Ganso do São Paulo

Deixe seu comentário