Ex-Manchester United diz que alguns jornalistas não o entrevistam pelo fato de ser negro

Destaque dos Red Devils no fim dos anos 90 e início dos 2000, Dwight Yorke fala sobre o mercado para treinador negro e diz que sofre rejeição até mesmo de alguns jornalistas

compartilhado
Dwight Yorke fez história no Manchester United, mas admite que ainda sofre preconceito racial (Getty Images)
Dwight Yorke fez história no Manchester United, mas admite que ainda sofre preconceito racial (Getty Images)
301209
compartilhado

Quatro temporadas no Manchester United. Títulos de Champions League, Mundial de Clubes e Premier League. Dwight Yorke se tornou ídolo na Inglaterra com muitas conquitas. Aposentado, o ex-atacante, que agora está com 45 anos, deu uma entrevista polêmica à BBC. Nascido em Trinidad e Tobago, ele admitiu que sofre preconceito racial pela falta de oportunidades como treinador:

"Se não é pela nossa cor, será pelo quê? Os que são justos pelos menos ainda nos dão uma entrevista. Outros, não. Não é justo. O futebol é um esporte global. Os jogadores negros contribuíram bastante durante muitos anos", afirmou Yorke, que disparou contra o critério dos grandes campeonatos sobre a questão racial:

"Olha a Premier League. Tem algum treinador negro? E a Serie A TIM? Tem? Não. A lista vai ser interminável", finalizou.

Além do Manchester United, Yorke defendeu o Aston Villa, clube que foi revelado, o Blackburn, Birmingham, o Sydney, da Austrália, e encerrou a carreira no Sunderland, na temporada 2008/09.

Leia também:

Barça tem bons números sem Neymar

Chineses dispostos a liberar Pato

Real Madrid e Kaká podem se reencontrar

Deixe seu comentário