Ela tomou uma decisão inusitada e largou Odontologia: conheça a história de Nadine

Hoje comentarista no FOX Sports, Nadine Bastos foi assistente de arbitragem até 2016

False
301137

Aos 34 anos, a assistente de arbitragem Nadine Bastos deixou os campos para se tornar comentarista de esporte. A nova integrante da equipe FOX Sports já tinha familiaridade com os gramados antes mesmo de sonhar em trabalhar com isso profissionalmente – antes da faculdade, Nadine foi jogadora da seleção feminina catarinense de futebol. Mas, aos 18 anos, tomou uma decisão inusitada: foi na direção contrária ao que praticava desde criança e escolheu cursar Odontologia.

Foram cinco anos afastada de qualquer atividade física. Porém, ao término da faculdade, a necessidade de se exercitar bateu à porta, e decidiu que faria um curso de arbitragem junto com uma amiga. Eram as únicas mulheres da turma. Quando precisou decidir se seria árbitra central ou assistente, escolheu a segunda opção – ela refuta quem classifica a função como um trabalho ‘fácil’.

“Ou o jogador está impedido, ou não está. É uma grande dificuldade, e isso me incentivou”.

Saiba mais:

Douglas Costa é alvo de time inglês

United vale 4 vezes mais que rival

Juve deixou recado depois de classificação

Depois de ganhar experiência, Nadine chegou ao quadro nacional de árbitros, mas não na primeira tentativa. Ela lembra que, para fazer parte da arbitragem de competições masculinas, os testes são mais ‘pesados’.

“Geralmente são cinco indicados para o quadro nacional durante o ano, caso tenha vaga. A CBF divide vagas por cada estado do Brasil. Em 2008, surgiu uma vaga para assistente, eu fiz os testes físicos e tive dificuldade – temos que fazer o teste físico masculino, para trabalhar em competição masculina, não passei e continuei atuando no catarinense”.

Em 2010, voltou a fazer o teste masculino e foi aprovada. A partir de então, começou a atuar no Campeonato Brasileiro. “Fiz muitos jogos da Série B e Série C em 2010, e em 2011 já comecei a fazer mais Série A. Em 2014, entrei na Fifa e comecei nas competições internacionais femininas. Depois, foram duas Libertadores Femininas, sub-20 Feminina no Uruguai, Venezuela, e em 2017 encerrei”, relembra Nadine.

Deixe seu comentário