Malas prontas? Griezmann não descarta ida para Barcelona ou Real Madrid: 'Por que não?'

Atacante francês disse que é um sonho de sua vida atuar nos gigantes da Europa, mas, que no momento está feliz em defender a camisa dos colchoneros e não pretende sair tão cedo

compartilhado
Antoine Griezmann disse que ainda não pretende deixar o Atlético de Madrid (Getty Images)
Antoine Griezmann disse que ainda não pretende deixar o Atlético de Madrid (Getty Images)
297014
compartilhado

Em alta com a camisa do Atlético de Madrid já há algumas temporadas, o atacante Antoine Griezmann pode deixar seu atual clube. Isso porque, durante uma entrevista com fãs feitas pelo jornal francês L’Équipe, o camisa 7 colchonero respondeu algumas perguntas sobre seu futuro, dentre elas qual seria sua próxima equipe quando for deixar o Atleti.

Ao ser questionado sobre se ver algum dia defendendo a camisa do Barcelona ou o Real Madrid, Griezmann respondeu: “Por que não? É um sonho jogar nos maiores times do mundo, e essas duas equipes estão entre as maiores do mundo, além do Bayern e também de outros ingleses, penso nisso desde quando era criança. Porém, neste momento, não me vejo em nenhum destes”.

Veja mais:

"Vasco é muito grande para Milton Mendes"

Felipe Melo cutuca torcida do Santos

Guardiola já liberou um jogador do City

Apesar de ser cobiçado por diversos esquadrões europeus, o francês deu preferência para permanecer na Espanha, pois já está adaptado no local. “Estou bem aqui, não me vejo fora daqui, gosto muito do sol. Tudo isso ajuda, preciso dessas coisas para ser feliz na minha vida particular e poder render bem assim dentro de campo, tudo está relacionado”, prosseguiu Antoine.

A respeito da grande virada do Barcelona sobre o Paris Saint-Germain, pelas quartas de finais da Uefa Champions League, Antoine Griezmann se mostrou impressionado pelo feito dos catalães. “Quando vi, pensei que amo o futebol exatamente por essas coisas. O que jogaram foi algo incrível. O PSG também ajudou o Barça em alguns gols. Marcar seis gols não dá para pôr a culpa na arbitragem”, concluiu.

Deixe seu comentário