Substituto de Bernardinho, Renan diz já estar alinhado com comissão

O novo treinador foi ponteiro da Seleção Brasileira masculina de vôlei nos anos 80 e chegou a jogar com Bernardinho, com quem dividiu a prata pelo Brasil em 1984

False
288147

Com o fim de uma das mais vitoriosas eras da história do esporte brasileiro, um novo começo. Assumindo a Seleção Brasileira masculina de voleibol, o craque dos anos 80, Renan Dal Zotto, terá pela frente o legado de Bernardinho, bicampeão olímpico e tri-mundial. Para o ex-ponteiro da Seleção, a presença de Bernardo ainda será importante para o Brasil.

“A influência (do Bernardinho) no trabalho sempre será positiva. Assim como fiz com ele, sei que irá me ajudar nos momentos de dificuldade”, afirmou Renan durante a coletiva em que a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) o anunciou como novo técnico.

Diretor de Seleções de quadra da CBV durante o último ciclo olímpico, o medalhista de prata com o Brasil nos Jogos de Los Angeles 1984 acredita que sua experiência no cargo de direção ajudará no trabalho dentro de quadra. “A filosofia e metodologia de trabalho estão muito alinhadas com a da comissão técnica campeã, até porque estava lá dentro”, acrescentou.

Saiba mais:

Camisa 10? Diretor do Flamengo afirma que tendência é que Conca vista a 11a e Diego siga com a 35

Negou: Mattos trata como 'impossível' chegadas de Pratto e Borja, mas projeta mais dois reforços

Será? Presidente do Nacional diz que ficaria "completamente louco" com a chegada de Ronaldinho

Além de se inspirar em Bernardinho, seu companheiro na prata de 1984, Renan também exaltou a convivência com Zé Roberto Guimarães, técnico da Seleção feminina. “Nesses últimos anos como diretor de seleções tive a oportunidade de vivenciar o dia de dois dos maiores treinadores da história do vôlei mundial. Zé Roberto e Bernardinho. Sempre estive dentro ou muito próximo do processo. Quase 40 anos no vôlei”, pontuou.

Como técnico, Renan foi campeão da Superliga em 2006 comandando o Minas e, no ano seguinte, conquistou a Supercopa Italiana com o Treviso. Desde 2015, Renan foi Diretor de Seleções da CBV, participando dos títulos Sul-Americanos masculino e feminino do mesmo ano. Em 2016, seu trabalho foi coroado com a medalha de ouro masculina nos Jogos do Rio 2016 e a conquista do Grand Prix feminino.

Deixe seu comentário