Ronaldinho Gaúcho escreve carta para sua versão infantil e relembra morte do pai

Meio-campista fez o texto se baseando em uma linha cronológica, que leva desde ao acidente de João, seu pai, ao período em que deixou o Barcelona

False
288146

Um dos ídolos do futebol brasileiro, Ronaldinho Gaúcho mostrou que também sabe emocionar fora de campo. Nesta quarta-feira, o portal The Players Tribune divulgou uma carta que o jogador escreveu para a sua versão de oito anos de idade. No texto, o jogador revela desde lembranças sobre a morte do pai até momentos importantes de sua carreira, principalmente no Barcelona.

“Então, você vai ver Roberto (Assis, seu irmão). Ele colocará o braço em volta dos teus ombros e vai te levar para o banheiro para que vocês possam estar num local mais reservado. Ele vai te contar algo que você não irá compreender: Houve um acidente. Papai se foi. Ele morreu. Essa notícia não fará sentido para você”, recordou-se da vez em que voltou para casa, e seu pai, João, já não estava mais lá.

Fã de quem sempre te inspirou, Ronaldinho escreveu, como conforto, para sua versão infantil, explicando: “Todas as vezes que você estiver com a bola no pé, papai estará com você”.

Saiba mais:

Camisa 10? Diretor do Flamengo afirma que tendência é que Conca vista a 11 e Diego siga com a 35

Negou: Mattos trata como 'impossível' chegadas de Pratto e Borja, mas projeta mais dois reforços

Será? Presidente do Nacional diz que ficaria "completamente louco" com a chegada de Ronaldinho

O atacante também falou sobre seu cachorro de estimação da infância. Fiel companheiro, o vira-lata Bombom foi alvo de seus primeiros elásticos, fato que Gaúcho adiantou que aconteceria com alguns defensores da Europa. “Daqui a alguns anos, quando você estiver jogando na Europa, alguns defensores farão você se lembrar de Bombom”, brincou.

O dia 17 de julho de 1994 foi decisivo para Ronaldinho. O jogador lembrou do momento em que passou a acreditar que um dia vestiria a camisa da Seleção Brasileira. Com a conquista do tetracampeonato mundial do Brasil, o garoto de oito anos sonhou com aquele momento. ” ‘Eu vou jogar pelo Brasil’, você vai dizer para si mesmo naquele dia”, disse.

“Haverá quem diga – ok, será um técnico em particular – para você não jogar da maneira como joga. Esse técnico, em especial, acreditará que você precisa ser mais sério, que deve parar de driblar tanto:  você jamais será um jogador de futebol, esse técnico dirá. Use essas palavras como motivação”, aconselhou ao Ronaldo, ainda, sonhador.

“Quando ele chegar, os jogadores do Barcelona vão falar sobre ele como jogadores da Seleção Brasileira falavam de você. Quero que você dê a ele um pequeno conselho. Diga: eu quero que você jogue com alegria. Jogue com liberdade. Apenas brinque com a bola nos pés. Mesmo depois de você ter ido embora, o estilo jogo bonito vai existir no Barcelona através de Lionel Messi”, finalizou o ídolo, recordando de um dos conselhos que deu a quem o sucedeu no clube espanhol, Messi.

Deixe seu comentário