Fabio Carille não vê excesso de volantes e diz como deve usar Fellipe Bastos

Timão tem opções das categorias de base, do elenco atual e de novos contratados para o setor de meio-campo e o treinador ainda deve escolher quem formará o 'setor ideal'

compartilhado
Fabio Carille não concorda que o Corinthians tenha excesso de volantes (Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)
Fabio Carille não concorda que o Corinthians tenha excesso de volantes (Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)
288139
compartilhado

O Corinthians deverá dispor de mais de dez opções para a contenção do seu meio-campo em 2017. “Quantos volantes?”, perguntou o técnico Fábio Carille, confuso, ao escutar o número nesta quarta-feira (11 de janeiro), dia da reapresentação do elenco.

Três dos jogadores que encaminharam as suas transferências para o clube são volantes – Gabriel, o mais renomado, Fellipe Bastos e Paulo Roberto. Há ainda aqueles atletas que retornaram de empréstimos e podem ocupar a posição – o prata da casa Maycon e o lateral esquerdo Moisés. Entre os novatos, Warian já está no elenco e Mantuan será aproveitado após a Copa São Paulo de Juniores. Cristian e Camacho, por sua vez, terminaram o último ano como titulares do setor em que os meias Rodriguinho e Giovanni Augusto já foram improvisados. Jean, vindo do Paraná, quase não teve oportunidades.

“Essa é uma posição para a qual estamos buscando reforços”, minimizou Carille, fazendo questão de retirar Camacho da lista de volantes do elenco. “Ele não é. Tudo bem, pode ser. Mas, do jeito que penso futebol, é um meia de criação, utilizado como volante pela necessidade. No Audax, jogava mais à frente”, argumentou, embora o atleta se defina como um volante.

Saiba mais:

Camisa 10? Diretor do Flamengo afirma que tendência é que Conca vista a 11 e Diego siga com a 35

Negou: Mattos trata como 'impossível' chegadas de Pratto e Borja, mas projeta mais dois reforços

Será? Presidente do Nacional diz que ficaria "completamente louco" com a chegada de Ronaldinho

Quem também deverá ser utilizado mais à frente, como um segundo volante, é Fellipe Bastos. O jogador ainda não assinou contrato com o Corinthians, porém Carille já imagina como aproveitá-lo em sua equipe. “O Fellipe Bastos é um cara que sai para o jogo. Não é primeiro volante. Jogamos contra ele quando estava no Grêmio, na Ponte Preta e no Vasco”, recordou, sobre o iminente reforço de 26 anos, que estava no Baniyas, dos Emirados Árabes Unidos.

A decepcionante temporada passada do Corinthians justifica os esforços da diretoria para trazer Fellipe Bastos e outros atletas para a contenção do meio-campo. Na função de primeiro volante, Ralf deixou saudades ao sair para o Beijing Guoan, assim como ocorreu quando Bruno Henrique foi para o Palermo, da Itália. Camacho acabou testado na posição, apesar de preferir ter menor incumbência de marcação; Willians também, e desagradou a torcida, retornando para o Cruzeiro; Cristian se tornou a última aposta, mas já sem gozar do prestígio de outros tempos.

Agora, com a expectativa de Gabriel, que estava no Palmeiras, chegar como titular, e abrindo forte concorrência para o posto de segundo volante, o Corinthians poderá até se desfazer de alguns atletas para não inchar o seu elenco. É o caso do veterano Cristian. “Vai depender das chegadas dos jogadores”, desconversou Carille.

O certo é que, com tantas alternativas, fica mais difícil o aproveitamento dos pratas da casa. “Temos muitos deles no grupo. Dentro das nossas necessidades, subiremos outros. Não vamos ter medo de utilizá-los quando precisarmos”, argumentou Carille, que está acompanhando de perto a Copa São Paulo de Juniores e deverá contar com Osmar Loss, técnico do time sub-20, como seu auxiliar ao término do torneio.

Links relacionados
Deixe seu comentário