Alan Ruschel é ovacionado em retorno emocionante ao Beira-Rio

Emprestado pelo Internacional a Chapecoense, lateral-esquerdo sobrevivente da tragédia na Colômbia deu o pontapé inicial em amistoso organizado pelo meia argentino Colorado D'Alessandro

compartilhado 286121
compartilhado

O amistoso beneficente “Lance de Craque” reservou uma cena emocionante na noite da última quarta-feira (21 de dezembro). Um dos poucos sobreviventes do acidente que vitimou grande parte da delegação da Chapecoense, o lateral Alan Ruschel pisou em um gramado pela primeira vez após a tragédia e recebeu diversas homenagens, além de dar o pontapé inicial da partida. Nesta quinta (22), o jogador enalteceu os gestos de solidariedade dos presentes no Beira-Rio e admitiu que ficou comovido.

“Foi emocionante. Não tenho palavras para explicar o que senti no momento. Claro que nada irá apagar o que aconteceu, mas estou muito feliz por estar vivo, por poder estar caminhado e estar participando deste tipo de evento. O que o D’ale fez ontem no Beira-Rio foi muito emocionante”, declarou, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Saiba mais:

Qual equipe brasileira terá o caminho mais complicado na Conmebol Bridgestone Libertadores? Opine

Cauteloso, Alexandre Mattos comemora tempo antes da estreia na Conmebol Libertadores Bridgestone

Atlético-MG pagará mais de R$10 milhões para tirar Marlone do Corinthians

Antes do início do amistoso Lance de Craque, Alan Ruschel entrou em campo e recebeu diversos aplausos dos torcedores presentes no Beira-Rio. O atleta ainda recebeu uma homenagem especial do meia D’Alessandro, ídolo do Internacional que retorna ao clube após passagem pelo River Plate. O argentino discursou para toda a torcida presente no estádio e puxou o canto “Vamo, vamo Chape!” em tributo às vítimas da delegação da Chapecoense.

Visivelmente com dificuldades de locomoção durante a participação no evento, Alan Ruschel comentou sobre sua condição. “Eu tive uma cirurgia na coluna e isto dificulta um pouco meu andar. Mas pelo que os médicos falaram em três meses eu estarei andando normal sem nenhuma restrição”, explicou.

O jogador ainda explicou o contato que teve com as pessoas durante a realização do amistoso no Beira-Rio e projetou a sequência de sua vida. “A maioria das pessoas me passou força para seguir em frente. Não tem como apagar a tragédia, mas tenho que seguir a vida. Se Deus me deu uma nova oportunidade de viver, tenho que aproveitar da melhor forma possível”, completou.

O amistoso Lance de Craque é um jogo beneficente idealizado pelo meia D’Alessandro para ajudar instituições filantrópicas. A renda da partida da última quarta-feira será destinada para três entidades: a Kinder – Centro de Integração da Criança Especial, o PEAC – Projeto Evangélico Amigos de Cristo e a Sociedade Educação e Caridade Instituto São Benedito. Além deles, o montante também auxiliará as famílias das vítimas da tragédia da Chapecoense.

Links relacionados
Deixe seu comentário